A ex-deputada Manuela d’Ávilla defende que movimentos contrários ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) devem se manifestar no dia 7 de setembro. Para ela, a possibilidade de violência e confronto nos atos seguirá até as eleições de 2022. “Esse ambiente de violência política de Bolsonaro não é apenas para o 7 de setembro, é assim que ele fará a política”.

 

Manuela postou em seu Twitter que “a derrota de Bolsonaro está se aproximando e não podemos subestimar a resposta violenta e antidemocrática que ele ameaça dar, caso isso aconteça. Hoje, na entrevista que concedi ao UOL entrevista falei mais sobre isso”.

 

 

 

 

DA TV UOL