De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, Santa Catarina, Paraná, Bahia e Espírito Santo tinham rodovias bloqueadas nesta quarta-feira (8)

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informa que em pelo menos oito estados há relatos de pontos de bloqueio em rodovias por todo o País por causa de paralisação de caminhoneiros. Segundo informações de Delegacias Regionais da PRF, os bloqueios acontecem na Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Caminhoneiros de São Paulo conversaram com o Radar Econômico e dizem que estão se organizando para fazer bloqueios nas regiões de Caçapava e Jacareí a partir da noite desta quarta-feira (8). O Ministério da Infraestrutura confirma que os bloqueios aconteceram e que já desmobilizou  67 pontos. Em nota, o ministério diz que “não há coordenação de qualquer entidade setorial do transporte rodoviário de cargas e a composição das mobilizações é heterogênea, não se limitando a demandas ligadas à categoria”.

A maior manifestação acontece em Santa Catarina. No Maranhão, os manifestantes fecharam rodovias em Balsas e a pauta seria protesto contra o Supremo Tribunal Federal, segundo informações da PRF no estado.

De acordo com a PRF, em Santa Catarina, são seis pontos de paralisação: Garuva, Joinville, Mafra, Santa Cecília, Guaramirim e Campos Novos. Até o início da tarde desta quarta-feira, apenas carros pequenos e transportes maiores com cargas de alimentos perecíveis estavam passando pela rodovias.

 

Segundo a concessionária Arteris Litoral Sul, que administra o trecho da BR-101 no estado, em Garuva, no norte do estado, o bloqueio estava provocando uma fila de nove quilômetros no sentido Porto Alegre e de um quilômetro no sentido Curitiba.

A reportagem do Canal Rural entrou em contato com a concessionária, que não se manifestou sobre os bloqueios. Já a PRF disse que ‘não se trata de uma greve’, mas de ‘um movimento político’. Não há previsão de quando os caminhoneiros vão voltar a rodar. Por enquanto, nenhuma entidade representativa assumiu a liderança da paralisação.

 

 

Procurado pelo Canal Rural, o Porto de Itajaí, o maior de Santa Catarina, disse que operava normalmente na manhã desta quarta-feira, sem reflexos da paralisação. Já a Portonave, empresa que opera o terminal de Navegantes, em nota, disse que “no período da manhã, foi sentida a redução no fluxo de caminhões”. Ainda segundo a nota, a empresa segue acompanhando a situação, mas funcionando normalmente.

As paralisações no estado começaram na madrugada desta terça-feira, 7, na esteira dos atos convocados por Bolsonaro. Empresas e entidades do agronegócio catarinense acompanha de perto a situação, mas não relatam prejuízos, por enquanto.

 

Outros estados

 

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal, Santa Catarina não é o único estado com bloqueios provocados por caminhoneiros. Na manhã desta quarta, trechos de rodovias no Paraná, Espírito Santo e Bahia também estavam paralisados.

No Paraná, há manifestações em dois trechos da BR-376, um em Paranavaí e outro em Maringá, no noroeste do estado. No Espírito Santo, caminhoneiros fazem bloqueios em oito trechos, cinco deles na BR-101. Na Bahia, a paralisação acontecia BR-242, entre Luís Eduardo Magalhães e Barreiras, no oeste do estado.

 

Ministério da Infraestrutura

Em nota, o Ministério da Infraestrutura informa que “a PRF encontra-se em todos os locais identificados e trabalha pela garantia do livre fluxo com a tendência de fim das mobilizações até a 0h do desta quinta-feira, 9”.

Ainda segundo a nota, não há coordenação de qualquer entidade setorial do transporte rodoviário de cargas “e a composição das mobilizações é heterogênea, não se limitando a demandas ligadas à categoria”. Ao todo, diz o ministério, foram registradas 56 ocorrências com concentração de populares e tentativas debeladas de bloqueio total ou parcial de rodovias durante as últimas horas.

 

Com informações da Veja e do Canal Rural