Publicidade

Mais de cem entidades assinam manifesto em defesa da democracia

  • em



Cento e sete entidades dos mais diversos perfis ideológicos assinaram o Manifesto em Defesa da Democracia e da Justiça, divulgado, nesta sexta-feira (5), em jornais e outras mídias de circulação nacional, e está ganhando cada vez mais adeptos. O documento foi articulado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e reúnde entidades sindicais da classe trabalhadora, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil  (CTB), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), entre outras.

 

 

 

O manifesto é mais uma carta que se soma à “Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito“, organizada por ex-estudantes do curso de direito da Universidade de São Paulo (USP). Embora não mencione o nome do presidente Jair Bolsonaro (PL), a carta do direito da USP é considerada uma resposta às ameaças golpistas do presidente. Trata-se de uma iniciativa suprapartidária, que será lançada no dia 11 de agosto, Dia do Advogado. A carta da USP foi divulgada no dia 26 de julho e em 15 dias já constavam mais de 800 mil signatários.

 

 

Além do Manifesto e da Carta, 247 delegados da Polícia Civil de São Paulo também lançaram, nesta sexta-feira (5), uma carta pró-democracia. Os documentos servem para denunciar os ataques de Jair Bolsonaro (PL) ao sistema e processo eleitorais brasileiros. As pesquisas eleitorais mostram que ele vai perder e, desde já, sabendo que o povo brasileiro está disposto a retirá-lo de qualquer jeito da Presidência da República, tem feito ataques à segurança das urnas, à idoneidade do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ao processo eleitoral. As assinaturas são de delegados da ativa e aposentados, de diversos estados. Segundo apuração da CUT, que conversou com o autor da petição, a ideia é chegar a 300 adesões.

 

 

As cartas visam, sobretudo, a defender a segurança e a eficácia das urnas eletrônicas, que há 25 anos vêm garantindo eleições limpas e transparentes com resultados de apuração em poucas horas após o término da votação. No manifesto lançado nesta sexta, os signatários exaltam a força do governo brasileiro e enfatiza a importância das instituições, especialmente o judiciário e a da Justiça Eleitoral. “Nossa democracia tem dado provas seguidas de robustez”, enfatizou a carta.

 

 

O texto acrescenta que, em menos de 4 anos, o Brasil enfrentou crises econômicas profundas, “como períodos de recessão e hiperinflação, além de crises políticas, superando essas mazelas pela força de nossas instituições”. O manifesto rejeita a retórica de discursos que avançam contra valores, que não são mencionados explicitamente. “Elas foram sólidas o suficiente para garantir a execução de governos diferentes espectros políticos. Sem se abalarem com litanias dos que ultrapassam os limites razoáveis das críticas construtivas”, destaca o manifesto.

 

 

Entidades ressaltam papel da Constituição Federal no texto em defesa da democracia

 

 

Entre os signatários estão entidades empresariais, como a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), organizações não governamentais (Anistia Internacional; Instituto Vladimir Herzog), centrais sindicais (Central Única dos Trabalhadores; Força Sindical), além da Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo e universidades (USP; Unicamp; Unesp; PUC).

 

 

Essas entidades enfatizam o papel da Constituição Federal como espinha dorsal da democracia. “Queremos um país próspero, justo e solidário, guiado pelos princípios republicanos expressos na Constituição, à qual todos nos curvamos, confiantes na vontade superior da democracia”, sublinhando o texto que volta a alertar que estes valores estão sob ataque.

 

 

A carta ocorre em meio ao ataque do presidente Jair Bolsonaro aos sistemas eleitorais e às urnas eletrônicas, que ele afirma, sem fornecer provas, não serem confiáveis. Em reunião com embaixadores em julho, Bolsonaro disse que o governo tentaria encontrar uma saída para as eleições deste ano. A ideia é “corrigir falhas”. Confira:

 

 

Com edição do Jornal Brasil Popular




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *