Artistas, políticos, intelectuais, cientistas, ex-chefes de Estado do mundo subscreveram uma carta aberta ao presidente dos EUA, Joe Biden, para lhe pedir o fim do bloqueio e das sanções a Cuba

 

 

A carta, intitulada «Let Cuba live» e publicada esta sexta-feira como um anúncio pago em The New York Times, está disponível na plataforma letcubalive.com e representa um apelo público urgente à desmontagem das «políticas cruéis» implementadas pela administração do ex-presidente Donald Trump, que acrescentou mais 243 novas medidas coercivas contra a Ilha.

 

 

«Parece-nos inconcebível, especialmente durante uma pandemia, bloquear intencionalmente as remessas e a utilização por parte de Cuba das instituições financeiras globais, tendo em conta que o acesso a dólares é necessário para a importação de alimentos e medicamentos», sublinha a missiva.

 

 

A carta aberta a subscrição já recolheu assinaturas de figuras prestigiadas, como o linguista Noam Chomsky, o ex-presidente equatoriano Rafael Correa, o ex-presidente brasileiro Lula da Silva, o intelectual argentino Atilio Boron e o também argentino Adolfo Pérez Esquivel, Prémio Nobel da Paz.

 

Subscrevem igualmente o apelo contra o bloqueio o britânico Jeremy Corbyn, antigo líder do Partido Trabalhista, o português João Pimenta Lopes, deputado pelo PCP ao Parlamento Europeu, a reconhecida activista solidária norte-americana Gloria La Riva e o teólogo brasileiro Frei Betto.

 

 

Entre os signatários contam-se ainda os nomes de vários actores norte-americanos, como Danny Glover, Susan Sarandon, Jane Fonda e Mark Ruffalo, e de artistas de outras proveniências, de que são exemplo o cubano Silvio Rodríguez, a actriz britânica Emma Thompson, os brasileiros Wagner Moura e Chico Buarque.

 

 

Também subscrevem o documento vários jornalistas e organizações de diferentes âmbitos, como Codepink, Black Lives Matter, Answer Coalition, The Grayzone, o Movimento Rural dos Trabalhadores sem Terra (Brasil) e a Associação Intervenção Democrática.

 

 

«”Nós estamos com o povo cubano”, escreveu você [Biden] a 12 de Julho. Se é assim, pedimos-lhe que assine de imediato uma ordem executiva e anule as 243 “medidas coercivas” de Trump», afirmam.

 

 

«Retome a abertura e comece o processo de acabar com o embargo», sugerem os subscritores ao presidente norte-americano, lembrando-lhe que, no passado dia 23 de Junho, a maioria dos estados-membros das Nações Unidas votaram pelo levantamento do bloqueio à Ilha.

 

 

Para os signatários, deve ser retomado o caminho promovido por Barack Obama, «ou, melhor ainda, iniciar o fim do bloqueio e normalizar inteiramente as relações entre os Estados Unidos e Cuba».

 

 

Do site Abril Abril