Nesta sexta-feira,  5, quando entraram em vigor as medidas restritivas à circulação de pessoas, editadas pelo governo do Maranhão, mais de 30 Prefeituras do estado também baixaram decretos com medidas não-farmacológicas para conter a expansão da Covid-19 na unidade federativa. A informação é da Federação de Associações Municipais do Estado do Maranhão.

 

Na segunda maior cidade do Estado, Imperatriz, onde hoje a situação é mais grave, o prefeito Assis Ramos tem intensificado nos últimos dias as fiscalizações para conter a disseminação do novo coronavírus na cidade. A fiscalização ostensiva tem sido coordenada pela Secretaria Municipal de Governo e Projetos Estratégicas. A força tarefa conta com participação da Vigilância Sanitária, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Guarda Municipal, Secretarias de Planejamento Urbano, e de Meio Ambiente.

 

Nesta sexta-feira (5), um dos vereadores da cidade, José Carneiro dos Santos, conhecido como Buzuca, faleceu de Covid-19. O edil estava licenciado e havia assumido a Presidência da Fundação Cultural de Imperatriz. O Prefeito decretou luto oficial por três dias.

 

Em Brejo, o prefeito José Farias de Castro foi um dos primeiros a decretar medidas restritivas entre os 217 municípios do Maranhão. No município, até o início de março deste ano, houve 945 casos confirmados de pessoas infectadas pelo SARS-COV-2. Foram 26 os óbitos pela covid-19 na cidade no período de 12 meses.

 

Em  Arame, o prefeito Pedro Fernandes baixou decreto suspendendo a autorização para realização de reuniões e eventos em geral e também das aulas presenciais em instituições de ensino públicas e privadas no âmbito do município.

 

A própria Famem passou a funcionar de forma remota a partir de hoje, com seus funcionários em home office e com os prefeitos sendo orientados a procurarem contato através dos canais que a entidade mantém nas redes sociais.