Publicidade

Lula diz que Petrobras aumenta preços para pagar acionista nos EUA e lança vídeo sobre a fome (vídeo)

  • em



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), líder nas pesquisas de intenção de voto para a eleição presidencial de 2022, criticou na quarta-feria (29), a política de preços da Petrobrás e afirmou que a estatal eleva os preços dos combustíveis cobrados dos consumidores brasileiros para pagar dividendos a acionistas nos Estados Unidos da América (EUA).

 

A fala do Ex-Presidente da República foi uma reação ao anúncio mais recente de alta do preço do diesel nas refinarias, anunciado na véspera pela Petrobrás. A estatal informou reajuste em quase 9% do combustível a partir de quarta-feira (29), após 85 dias de estabilidade. Com o movimento, os preços médios de diesel e gasolina da Petrobras acumulam alta de mais de 50% neste ano.

 

“Mais uma alta do diesel. Não tem explicação subordinar os preços dos combustíveis ao mercado internacional. O que está acontecendo é que a Petrobras está acumulando verba pra pagar acionista americano. Não tem explicação”, disse Lula em entrevista à Rádio Capital de Cuiabá, cujos trechos foram publicados na conta do petista no Twitter.

 

A Petrobras adotou uma política de preços pela qual reajusta os preços cobrados em suas refinarias no Brasil com base na oscilação do preço do petróleo no mercado internacional e na variação do real ante o dólar.A elevação do preço dos combustíveis tem sido um dos principais fatores na aceleração da inflação. O presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL) tem jogado a culpa da dolarização que o governo dele fez sobre o petróleo brasileiro e seus derivados nos governadores.

 

 

Apuração da Reuters indica que as pesquisas mostram que Bolsonaro está na segunda posição na corrida eleitoral de 2022, muito atrás de Lula, assim como foi em 2018, quando o petista era, como agora é, a preferência nacional para conduzir o Brasil, mas foi arrancado da disputa por um conluio entre mídia liberal, Judiciário, empresários nacionais e estrangeiros, Forças Armadas e o Ministério Público, que, com uma falsa operação “contra” a corrupção denominada “Lava Jato”.

 

A “Lava Jato” foi uma operação de “lawfare”, ou seja, a utilização da lei e dos procedimentos legais por agentes do sistema de justiça, como o ex-juiz Sergio Moro, para perseguir o ex-presidente Lula, declarado inimigo dos neoliberais. Com essa operação, o MP criou uma das maiores fake news da história do Brasil com 19 processos contra Lula. Todos derrubados na Justiça. Nesta quinta-feira (30), a Justiça do Distrito Federal voltou a rejeitar denúncia contra Lula no caso do sítio de Atibaia, o que configura sua 20ª vitória sobre a Lava Jato.

 

Quanto aos preços elevados do combustível e gás num país que é quase autossuficiente em petróleo, Bolsonaro esconde a dolarização que seu governo promoveu e culpa o imposto sobre combustível cobrado por governadores e tem prometido que não interferirá na Petrobrás. Os governadores negam e provam que o ICMS seja o responsável pela elevação dos preços.

 

A estatal, por sua vez, em nota, afirmou, na terça (28), que o reajuste do diesel mais recente visa a “garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras” e que o novo aumento “reflete parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e da taxa de câmbio“.

 

A estatal, outra empresa brasileira militarizada, e o governo Bolsonaro têm reiterado que a Petrobras possui liberdade para ajustar preços, conforme estratégias de mercado. A sociedade brasileira, no entanto, já viu que a transformação da maior empresa nacional em objeto de lucro de banqueiros e rentistas só tem prejudicado a todo mundo. Daí que tem questionado o que o mercado financeiro e a imprensa liberal chama de “fortes avanços”, que ocorrem como reflexo do mercado internacional e pressionado a empresa para voltar a ser a Petrobrás brasileira.

 

A fome não é um fenômeno da natureza

 

Em um vídeo postado nas suas redes sociais, o ex-presidente Lula critica a política de preços, diz que “é urgente que a sociedade brasileira se indigne contra a fome!”. Confira

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *