Valor considera a soma dos ganhos do Bradesco, Itaú, Banco do Brasil e Santander no 2º trimestre de 2021

 

 

O lucro líquido conjunto dos grandes bancos brasileiros no segundo trimestre somou R$ 23,1 bilhões, o maior montante para um trimestre na história considerando valores nominais. O levantamento é da provedora de informações financeiras Economatica.

O valor é uma somatória das quatro principais instituições financeiras do país. O maior lucro do trimestre foi do Itaú Unibanco (R$ 7,5 bilhões), seguido de Bradesco (R$ 5,9 bilhões), Banco do Brasil (R$ 5,5 bilhões) e Santander (R$ 4,1 bilhões).

Comparado ao primeiro trimestre deste ano, a soma representa uma alta de 24,4%. Contra o mesmo período do ano passado, momento de grande impacto da pandemia do coronavírus nas companhias negociadas na bolsa, o ganho atual chega a 90,4%.

Em geral, os resultados acompanham as menores provisões para perdas com crédito e maiores receitas de tarifas.

Lucro dos quatro maiores bancos até o 2º trimestre de 2021 — Foto: G1 Economia
Lucro dos quatro maiores bancos até o 2º trimestre de 2021 — Foto: G1 Economia

 

 

A Economatica também estabelece os comparativos de lucro líquido com reajuste pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, a preços de 30 de junho deste ano. Nesse caso, o resultado dos grandes bancos é o terceiro maior da série histórica, que começa em 2009.

 

Com preços ajustados, o líder do ranking é o quarto trimestre de 2019, quando os lucros líquidos conjuntos somam R$ 23,6 bilhões. O “vice-campeão” é o segundo trimestre de 2015, com lucro agregado de R$ 23,2 bilhões.

Itaú Unibanco

 

 

Líder da lista, o Itaú Unibanco informou lucro líquido contábil de R$ 7,56 bilhões no segundo trimestre de 2021, um crescimento de 120,8% em relação o mesmo período do ano passado, quando reportou ganhos de R$ 3,424 bilhões.

No primeiro trimestre, o Itaú apurou lucro líquido contábil de R$ 5,414 bilhões. Já o lucro líquido recorrente do banco, que exclui fatores extraordinários no trimestre fiscal, somou R$ 6,543 bilhões no segundo trimestre, acima do apurado no mesmo período de 2020 (R$ 4,205 bilhões).

Bradesco

 

O banco Bradesco afirmou ter registrado lucro líquido contábil de R$ 5,974 bilhões no 2º trimestre de 2021, um avanço 70,4% em relação ao mesmo período de 2020 (R$ 3,5 bilhões). Já em relação ao primeiro trimestre de 2020 (R$ 6,515 bilhões), houve queda de 2,9%.

Já o lucro líquido recorrente do banco, que exclui fatores extraordinários no trimestre fiscal, somou R$ 6,3 bilhões no segundo trimestre, acima do apurado no mesmo período de 2020 (R$ 3,873 bilhões).

Banco do Brasil

 

 

Banco do Brasil registrou lucro líquido contábil de R$ 5,5 bilhões no 2º trimestre, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (4). O resultado representa uma alta de 72,1% em relação ao mesmo período do ano passado (R$ 3,2 bilhões).

Já o lucro líquido ajustado do banco, que exclui itens extraordinários, somou R$ 5 bilhões no período entre abril e junho, avanço de 52,2% na comparação anual. No comparativo semestral, o lucro líquido somou R$ 9,7 bilhões, com alta de 52% na comparação com os 6 primeiros meses de 2020.

Santander

 

Santander Brasil registrou lucro líquido societário de R$ 4,103 bilhões no 2º trimestre, o que representa uma alta de 102,6% na comparação com o mesmo trimestre de 2020 (R$ 2,026 bilhões) e de 45,7% em relação ao primeiro trimestre deste ano (R$ 2,816 bilhões).

Já o lucro gerencial, que exclui fatores extraordinários, alcançou R$ 4,171 bilhões, alta de 8% em relação ao 2º trimestre de 2020 (R$ 3,862 bilhões) e de 5,4% em comparação com o 1º trimestre deste ano (R$ 3,955 bilhões).

Do G1