Incêndio no dia 14 de julho no prédio da Segurança Pública do RS

 

 

Os corpos dos dois bombeiros militares desaparecidos durante o combate ao incêndio do prédio da Segurança Pública (SSP) do Rio Grande do Sul foram localizados, nesta quarta-feira (21). Deroci Almeida da Costa foi o primeiro a ser localizado. Ele atuou na organização das equipes que combatiam as chamas e resolveu entrar na operação para dar apoio aos colegas.

 

 

Deroci era primeiro tenente e trabalhava há mais de 20 anos no Corpo de Bombeiros Militar (CBM). O sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, também foi encontrado. Ele tinha 51 anos, estava de folga na noite do incêndio e se ofereceu para trabalhar como voluntário. Ele atuava há mais de 30 anos na corporação.

 

Foi necessário um trabalho técnico, como abertura de acessos na estrutura para se encontrar os corpos dos dois servidores. Cães treinados auxiliaram na operação e deram indicações mais precisas da localização sob um acumulado de escombros. Ambos estavam no térreo.

 

O velório e o sepultamento de ambos foram realizados no 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros, no bairro Praia de Belas, em Porto Alegre. Com um contingente da chamada guarda de honra, quando os colegas se mantêm ao lado, “guarnecendo os companheiros”, conforme explicou o comandante do CBM, coronel César Bonfanti.

 

 

O governador Eduardo Leite (PSDB) decretou luto oficial de três dias no Rio Grande do Sul.

 

 

“Cumpriram ao extremo o seu juramento de colocar a sua própria vida em risco para salvar outras vidas e salvaram. Sua própria guarnição que estava fazendo o trabalho de combate aos incêndios, garantindo que ninguém ficasse para trás”, destacou o chefe do Executivo em sua conta no Twitter.

 

“Militares extremamente qualificados e experientes abdicaram de seus medos, de suas vidas, para cumprir aquilo que juraram, proteger vidas e patrimônios, enfrentando de frente a força do fogo, com a coragem peculiar daqueles que nasceram para, com maestria, cumprir sua missão na Terra”, declarou, em nota, a Associação dos Bombeiros do Estado do Rio Grande do Sul (ABERGS).

 

 

“Nosso reconhecimento e respeito à memória desses dois servidores da segurança que estavam trabalhando e cumprindo sua missão”,lembrou o deputado Edegar Pretto (PT) no seu Facebook, nesta quinta, 22 de julho.

 

 

O incêndio

 

O prédio de nove andares, localizado na Voluntários da Pátria, no centro da capital, abrigava a sede da Secretaria de Segurança Pública do Estado e foi totalmente consumido por um incêndio no dia 14 de julho. Sete testemunhas disseram à Polícia Civil que viram a fumaça começar no quarto andar, onde funcionava a parte administrativa da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe).

 

 

Haviam de 40 a 50 trabalhadores no local, o prédio foi totalmente evacuado. Atualmente neste prédio funcionavam estruturas administrativas do Departamento de Trânsito (Detran), Instituto Geral de Perícias IGP), a Superintendência de Serviços Penitenciários (SUSEPE), e o gabinete da Secretaria de Segurança Pública. Além dos serviços do Departamento de Comando e Controle Integrado (DCCI), com monitoramento de câmeras, e o atendimento do Serviço 190.