Publicidade

Latitud Brasil entrevista Carlos Moura, fundador e primeiro presidente da Fundação Cultural Palmares

  • em



O Brasil viveu quase 4 séculos de escravidão. Foi um dos últimos países a erradicar essa mazela social no mundo e tem uma herança altamente maléfica da escravidão nas relações sociais, na educação, na cultura e no mercado de trabalho, em que o trabalhador negro e a trabalhadora negra recebem os piores salários, são discriminados, não ocupam postos de comando e engrossam as filas dos desempregados.

 

Atualmente, com o governo neoliberal já colocou para fora do mercado de trabalho mais de 15 milhões de brasileiros e gerou uma camada de mais de 20 milhões de pessoas em estado de extrema pobreza, sem ter nada para comer.

 

Essa situação está em curso desde 2016, imposta ao País o golpe de Estado empresarial-midiático, que derrubou a presidenta Dilma Rousseff (PT) do seu segundo mandato, e fraudou a eleição de 2018, notadamente com fake news, com a interferência dos EUA e com a ingerência do sistema financeiro, que colocou no poder o fascista militar Jair Bolsonaro e, no comando da política econômica, o banqueiro da Escola de Chicago, Paulo Guedes, além de ter bancado financeiramente a campanha eleitoral de mais da metade dos deputados e senadores para assegurar maioria no Senado Federal e na Câmara dos Deputados e, assim conduzirem, esta política de desmonte do Estado nacional de bem-estar social e da soberania brasileira.

 

O golpe de Estado de 2016 faz parte desse racismo estrutual que existe no Brasil e que tem sua face mais cruel no sistema prisional, o qual 70% dos reclusos são negros e a grande maioria não tem nem sequer uma culpa comprovada. O Poder Judiciário e as polícias são altamente racistas.

 

No Brasil, o racismo é estrutural e o governo Bolsonaro, desgraçadamente, o vitaminou. Dia 20 de novembro é o Dia da Consciência Negra, data que, no País, não se tem quase nada a se comemorar,  há apenas uma convocação para a luta, para o combate.

 

Nesta edição do Latitud Brasil, um programa de entrevista da Telesur, comandado e executado pelo jornalista Beto Almeida, o entrevistado é Carlos Moura, um dos fundadores e primeiro presidente da Fundação Cultural Palmares, uma das instituições mais atacadas pelo governo Bolsonaro. Confira.

 

 

 




 

 

SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

O Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB
Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *