Publicidade

Justiça ordena que bolsonaristas apaguem fake news sobre Jean Wyllys

  • em


A juíza Márcia Capanema, da 5ª Juizado Especial Cível, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou em caráter liminar que os deputados federais Beatriz Kicis e Bibo Nunes, o empresário Otávio Fakhoury, o youtuber Ed Raposo, o Movimento Avança Brasil e o blogueiro Cleuber Carlos terão que retirar do ar todas as postagens feitas onde associam o ex-deputado do PSOL Jean Wyllys a Adélio Bispo, autor da facada contra Jair Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018.

 

A juíza ainda estabeleceu prazo para que as postagens sejam retiradas do ar (até 48 horas), com muita diária de até R$ 1 mil para quem desrespeitar a determinação.

 

Nomes como Carlos Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro e Olavo de Carvalho também são alvos de ações semelhantes. Os casos, porém, correm em outra vara do TJ do Rio.

 

Jean Wyllys protocolou nos últimos dias uma série de ações para impedir as divulgações das fake news que envolvem seu nome. Ele respalda as ações no relatório elaborado pela Polícia Federal sobre o crime cometido contra Bolsonaro, que aponta Adélio como único participante, sem envolvimento de terceiros.

 

  • Compartilhe