Polícia prende dois suspeitos de envolvimento na morte de Daiane Sales, 14 anos, assassinada após uma festa na Terra Indígena Redentora, no Noroeste do estado

 

 

 

O corpo da adolescente kaingang Daiane Sales, de 14 anos, foi encontrado no dia 4 de agosto, em meio a uma lavoura

 

 

A polícia civil de Redentora, município de 13 mil habitantes localizado no Noroeste do estado, encaminhou nesta segunda-feira, 16, ao Presídio Estadual de Três Passos, o segundo suspeito pelo assassinato da adolescente Kaingang Daiane Griá Sales, 14 anos. Outra pessoa que teria ligação com o crime foi presa na manhã de domingo.

 

 

Por representação do delegado Vilmar Alaídes Schaefer, que conduz as investigações na delegacia local, a justiça decretou sigilo ao inquérito devido a pressões que grupos estariam fazendo contra os policiais.

 

 

As prisões são em caráter temporário, pelo prazo de 30 dias, e foram decretadas a partir de mandados expedidos pela comarca de Coronel Bicaco a pedido de Schaefer. Eles foram identificados por meio da perícia em vídeos de um encontro de jovens realizado na tarde de sábado, 31 de julho, na vila São João, perto da reserva.

 

 

Daiane teria participado da festa, que teria sido frequentada por jovens não indígenas. Em duas semanas de investigações, o inquérito investiga várias hipóteses, com indícios de estupro seguido de feminicídio.

 

 

A polícia não revelou se os presos são de fora da reserva ou indígenas e mantém em sigilo as demais informações sobre eles para não interferir na investigação. Schaefer admitiu que há muita pressão em torno do caso.

 

 

Na região, impera um clima de ódio aos indígenas. “As investigações continuam em curso com fins de exaurir a coleta de elementos de prova, incluídos os exames periciais em realização no Instituto Geral de Perícias (IGP), para, ao final, elucidar a autoria com individualização de condutas, motivações e demais circunstâncias ligadas aos fatos”.

 

 

(*) Por Gilson Camargo do jornal Extra Classe