Publicidade

Haddad e Ciro foram mais propositivos no debate da Globonews 

  • em


Haddad e Ciro foram mais propositivos no debate da Globonews

 

Mesmo isolados em suas casas devido à pandemia do coronavirus, o debate promovido pela Globonews na noite desse sábado, 02/05, foi importante e propositivo, também enquanto instrumento de argumentação ao combate à crise econômica e política que o Brasil vem enfrentando.

 

Em formato de debate em duplas: Ciro Gomes (PDT) debateu primeiro com João Amoedo (Novo) e Fernando Haddad (PT) debateu com o deputado federal Major Vítor Hugo (PSL).

 

Ao analisarmos o debate entre o PT e o PSL, ficou flagrante a tentativa do major Vítor Hugo em atacar Fernando Haddad e partiu para cima de realizações como o Programa Brasil Sem Fome.

 

Mesmo sem citar, quis desqualificar o programa do governo do ex-presidente Lula, o que foi rechaçado na participação de Haddad, que lembrou para o parlamentar que o programa social levou o Brasil a ser referência mundial por ter tirado o país da linha da miséria.

 

O major, também atacou propostas e programas educacionais do PT, sendo contestado por Haddad que referenciou, como ex-ministro da Educação de Lula, à comprovada eficiência de propostas como Bolsa Escola, ProUni, Universidade Para Todos, Brasil Sem Fronteiras, etc.

 

Haddad, também, fez várias citações sobre à importância de diversos outros programas sociais e de saúde.

 

Tais como, o Médicos Sem Fronteiras, Saúde em Casa, Luz Para Todos e que foram referencias nos governos do ex-presidente Lula e mantidos e ampliados pela ex-presidenta Dilma Rousseff.

 

Isso, como exaltou, até Dilma Rousseff ser boicotada com pautas bombas pelo Congresso Nacional e covardemente impitimada em 2016 sem justificativa plausível.

 

Por outro lado, com discurso panfletário, tentando ressaltar a Reforma Previdenciária e a ampliação de instrumentos na Reforma Trabalhista de Michel Temer (MDB), o que não apresentou números que justificasse tal sucesso.

 

Foi mais uma vez rechaçado por Haddad, que citou a recente pesquisa de desemprego no país que acusa o aumento na falta de postos de trabalho.

 

O parlamentar do PSL, também não conseguiu referenciar objetivamente quais são as propostas do governo de Bolsonaro para o combate efetivo à pandemia do coronavirus (Covid-19), deixando entender que a única preocupação do governo é com a área econômica.

 

No que, ao fechar a sua participação no programa, Fernando Haddad   destacou o crescimento dos superávits nos governos Lula/Dilma, que propiciou garantir reservas cambiais de quase 400 bilhões de dolares, juntamente com o pagamento de mais de 50% da dívida externa.

 

Isso, pontuou o ex-candidato do PT à presidência da República, é o que sustentou o golpista Temer e tem segurado economicamente o atual governo, destacou.

 

Mesmo, concluiu, com o ministro Paulo Guedes estar dando mais prioridade ao pagamento das dívidas do governo com os banqueiros, como já repassou recentemente mais de 50 bilhões de reais, quando deveria efetivamente combater à pandemia do coronavirus, disse.

 

Em linhas gerais, Fernando Haddad e Ciro Gomes se destacaram em relação aos outros dois debatedores, tendo apresentado mais conteúdo com amplo domínio sobre à atual realidade econômica, política e social do país.

 

Ambos também destacaram a importância da unidade nacional como o principal instrumento para o efetivo combate à pandemia, crescimento e desenvolvimento do país.

 

Ciro Gomes, como nas aparições anteriores, não foi tão agressivo em seus ataques ao PT e nem contra o ex-presidente Lula.

 

No final das suas falas, os representantes do PT, PDT e Novo fizeram também questão de se manifestar pelo Fora Bolsonaro…

 

O autor, Robson Silva, é jornalista em Brasília

 

  • Compartilhe