Há 29 anos, o líder cubano Fidel Castro fez seu discurso na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, que aconteceu no Rio de Janeiro (Brasil), na chamada ECO 92. Suas palavras causam arrepios se você considerar a destruição da Amazônia hoje em dia. Fidel culpou as sociedades de consumo por serem a causa da  destruição do meio ambiente.

 

 

“As florestas estão desaparecendo, os desertos estão se espalhando, bilhões de toneladas de terra fértil acabam no mar todos os anos. Várias espécies estão se extinguindo. A pressão demográfica e a pobreza levam a esforços desesperados para sobreviver, mesmo à custa da natureza. Não é possível culpar os países do terceiro mundo, as colônias de ontem, as nações exploradas e saqueadas de hoje, por uma ordem econômica mundial injusta”, disse o líder histórico da Revolução Cubana.

 

 

Se estivesse vivo, Castro faria 95 anos de idade neste 13 de agosto. Fidel Castro Ruz nasceu em Cuba, no dia 13 de agosto de 1926. Fifo, como foi carinhosamente chamado por alguns, era filho de imigrantes espanhóis. Ao emigrar para Cuba, seu pai se tornou um grande fazendeiro produtor de cana de açúcar e o colocou para estudar num colégio jesuíta, no qual, segundo ele mesmo, iniciou seu processo de disciplina. Na universidade, por um tempo, foi um amante do esporte, gostando muito de jogar basquetebol.

 

 

Um levantamento da vida de Fidel feito pelo Jornal Brasil de Fato dá conta de que ele iniciou a militância política no movimento estudantil, em 1945, aos 27 anos, quando cursava direito na Universidade de Havana. Diante da situação política do seu país, que, nessa época era de profunda desigualdade social, sequelas de governos ditadores comandados pela máfia que operava entre Caribe e Estados Unidos, Fidel viu o seu país se tornar um território devastado pelo imperialismo, com muitos cassinos, prostituição, charutos, runs e tráfico de drogas.

 

 

“Em 1953, o assalto do quartel Moncada deu origem ao Movimento 26 de Julho. Não foi uma derrota, como dizia o próprio Fidel, ‘se houvéssemos triunfado, seria muito cedo e não tínhamos as condições políticas e organizacionais naquele momento’”. Na ocasião, muitos caíram em combate, outros presos, torturados e exilados para o México, local em que Fidel conheceu o Che Guevara. Em razão das coincidências de ideias e de visão de mundo, tornaram-se grandes companheiros e amigos. Continue lendo a história do comandante do Exército revolucionário no site do BdF

 

 

Confira o que disse o líder cubano: