Sindicatos mantém negociações intensas para evitar a greve e aguardam proposta, até segunda (30/8), para definirem os rumos da mobilização

 

Os funcionários do Hospital São Vicente de Paulo de Cruz Alta, no noroeste gaúcho, realizaram uma Assembleia Geral, na quinta-feira (26), e decidiram aguardar a proposta dos administradores da instituição, até segunda-feira (30), quando será realizada nova Assembleia Geral para apreciação da proposta. A informação é de Milton Kermpfer, presidente da Federação dos Trabalhadores em Saúde do RS (FEESSERS).

Ele explica que os administradores do hospital aguardam ainda a entrada de recursos do governo estadual para poderem complementar a Folha de Pagamentos dos funcionários. No Hospital Santa Lúcia, também de Cruz Alta, os trabalhadores decidiram não realizar a greve. Optaram por aceitar a proposta de reajuste de 7,6% do INPC, a serem pagos em quatro parcelas.

As negociações foram mantidas, durante toda a quinta-feira (26), com as direções dos dois hospitais, acompanhadas dos presidentes do Sindicato da Saúde de Cruz Alta (Sindiesca), Márcio Barboza, e da Fessers, Milton Kempfer.

Pautas do movimento

Os trabalhadores pedem a retomada das negociações de acordo coletivo, reajustes e manutenção dos direitos sociais pelo Hospital São Vicente de Paulo, que ainda não pagou os 100% da Folha de Pagamentos do mês de julho deste ano e 7,26% de reajuste (INPC 1º/5/2020 a 30/4/2021), com renovação do acordo coletivo e manutenção das cláusulas sociais.

Milton Kempfer diz que o sindicato tem pedido à comunidade para apoiar o movimento e entender que os funcionários estão com os salários muito defasados e sem garantias de recebimento dos seus direitos.

“Os trabalhadores estão exaustos por causa da pandemia da Covid-19 e enfrentam, ainda, o assédio moral e as indisposições físicas, naturais do alto nível de desgaste. Todo esse descaso gera conflitos e pode prejudicar o pleno atendimento dos pacientes”.

Hospitais referências

Os Hospitais São Vicente de Paulo e Santa Lúcia são os únicos no município de Cruz Alta e recebem pacientes de toda a região, incluindo aí os da cidade de Ijuí. Além de atenderem aos casos de Covid-19, são referência em outras especialidades,  como traumatologia e ortopedia.

Com informações da FESSERS