Publicidade

Fiocruz nega pedido de Fux para que a turma do judiciário fure a fila da vacina contra Covid-19

  • em


A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) disse não ao indecoroso pedido do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para furar a fila da vacinação contra a Covid-19.

 

Em nota, a Fiocruz informou que a produção da vacina é “integralmente” destinada ao Ministério da Saúde, de acordo com o Programa Nacional de Imunizações. “A produção dessas vacinas será, portanto, integralmente destinada ao Ministério da Saúde, não cabendo à Fundação atender a qualquer demanda específica por vacinas”, afirma o texto da Fiocruz.

 

Sem nenhuma vergonha de dar uma “carteirada”, o STF havia encaminhado um ofício à Fiocruz solicitando a reserva de vacinas para imunizar antecipadamente 7 mil servidores do tribunal e do Conselho Nacional de Justiça.

E na tentativa de justificar a iniciativa descabida de furar a fila da vacina, o presidente do STF, Luiz Fux, disse que o pedido à Fiocruz se deu “de forma delicada, ética”, na necessidade de se vacinar os membros da corte com prioridade.

 

A atitude de Fux de querer vacinar a turma do judiciário vai na contramão da preocupação que ele deixou de demonstrar no dia 10 de setembro, quando realizou uma grande solenidade presencial – com pessoas sem máscara – para festejar sua posse na presidência do STF, inclusive espalhando coronavírus a diversos convidados. Assim agem algumas autoridades, sobretudo no Judiciário: depois do mau exemplo vem a carteirada”.

 

Posse de Luz Fux como presidente do STF, em 10/09/2020. Foto: Anderson Riedel/VPR
  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *