Publicidade

Ferrovia Brasília-Luziânia: o trem apita, mas não anda

  • em


Há sinais de que o Governo do DF estaria disposto a reabrir a Ferrovia Brasília-Luziânia, adaptando-a para a implantação de um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), o que poderia atender vasta população que habita esta região, em torno da saída sul do DF, estimada em 900 mil pessoas.

 

Como trata-se da recuperação e adaptação de uma ferrovia já existente, que inclusive funciona como transporte de cargas, especialistas admitem que não é necessário investimento de grandes somas de recursos.

 

O que é lamentável é que uma ferrovia que funcionou desde o início de Brasília, para transporte interestadual, foi pouco a pouco abandonada, em razão o rodoviarismo imposto pelas multinacionais automobilísticas, causando enorme prejuízo financeiro e de segurança aos moradores desta região.

 

O transporte ferroviário é imensamente mais seguro e mais barato (estima-se que tarifa poderá ser fixada em 1 real), mas enfrenta a pesada oposição das indústrias de ônibus  do petróleo e da construção civil, que se beneficiam com o rodoviarismo, indiferente ao desconforte e ao grande número de vítimas nos acidentes frequentes.

 

É indispensável que partidos progressistas e sindicatos convoquem o povo a pressionar para que realmente a Ferrovia Brasília-Luziânia não seja apenas jogada eleitoreira, sendo novamente abandonada, em prejuízo da população.

  • Compartilhe