Publicidade

Fechamento da Ford e demissões no BB e Volkswagem são reflexos da incapacidade econômica do governo Bolsonaro

  • em


As recentes notícias sobre o encerramento das atividades da Ford no Brasil, e os anúncios dos planos de demissão voluntária (PDV) na Volkswagen e no Banco do Brasil, que também deve fechar 361 unidades, apontam para a incapacidade do governo Bolsonaro em oferecer uma saída para a crise econômica instalada no País. Esta é a avaliação do deputado federal Zé Neto (PT-BA), preocupado com a sequência de fechamento de postos de trabalho no país.

 

A Ford anunciou na segunda-feira (11) que vai fechar suas três fábricas no País, em Taubaté (SP) e Camaçari (BA), além da Troller em Horizonte (CE). Isso deve causar a demissão de cinco mil trabalhadores. Já no Banco do Brasil, o PDV espera o desligamento de 5 mil funcionários. A Volkswagem não informou qual a expectativa de adesão ao plano.

“O que podemos constatar é que o ambiente econômico, político e estrutural do nosso País tem sofrido muito com as atitudes equivocadas do governo federal. E o pior é que estamos enfrentando apenas a ‘ponta do iceberg’. Nós estamos regredindo. Tanto de ponto de vista de nossa indústria como também nosso potencial tecnológico e produtivo”, afirmou Zé Neto.

 

Sobre o fechamento das centenas de unidades do Banco do Brasil – sendo 112 agências, sete escritórios e 242 postos de atendimento – o parlamentar baiano ressaltou que a medida contribui para a concentração de riqueza no País.

 

“É lamentável que o Banco do Brasil, que tem um papel extremamente importante do ponto de vista social, esteja sendo mais uma peça nessa engrenagem que a cada dia vai concentrando riqueza e tirando a capacidade produtiva do nosso País”, alertou Zé Neto.

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *