Receita líquida da BioNTech dispara com medicamento contra Covid-19

 

 

As receitas da BioNTech saltaram para € 5,3 bilhões de euros (cerca de R$ 32 bilhões) no segundo trimestre deste ano, ante € 42 milhões (R$ 256 milhões) no mesmo período do ano passado. A receita líquida estimada da empresa no segundo trimestre disparou para € 2,8 bilhões devido às vendas de sua vacina contra a Covid-19. No mesmo período do ano passado, o laboratório alemão teve perdas de € 88,3 milhões.

 

 

 

A BioNTech, junto com a parceira Pfizer, distribuiu mais de 1 bilhão de doses da vacina contra o coronavírus em todo o mundo no primeiro semestre de 2021. “Estamos orgulhosos de ter alcançado esse grande marco depois de apenas seis meses e de ter feito a diferença para as pessoas com nossa tecnologia proprietária de mRNA”, disse o CEO e cofundador Ugur Sahin.

 

 

 

A BioNTech assinou contratos com a Pfizer para fornecer mais de 2,2 bilhões de doses de sua vacina neste ano e mais de 1 bilhão em 2022. A empresa alemã, portanto, elevou sua previsão de vendas da vacina neste ano para € 15,9 bilhões.

 

 

 

Ativistas da People’s Vaccine Alliance estimam que o maior preço relatado pago pela vacina das empresas Pfizer/BioNTech foi em Israel a US$ 28 a dose – quase 24 vezes o custo estimado de produção.

 

 

 

A BioNTech enfatizou que a recente aquisição de uma plataforma de desenvolvimento de terapia celular TCR e uma instalação de fabricação em Gaithersburg, nos Estados Unidos, foi um passo importante em direção ao “objetivo de construir uma empresa global de biotecnologia para a medicina individualizada do câncer”.

 

 

 

Do site do Monitor Mercantil com Agência Xinhua