Publicidade

Entre sermos soberanos ou colônia

  • em



A história da humanidade é cíclica. Os processos de desculturalização e aculturação para a dominação ideológica econômica e social seguem o fluxo inexorável das imposições. Continuamos na lógica onde os fortes mandam e dominam;afinal, fomos convertidos à servidão voluntária de mentes e almas colonizadas.

 

Passados setenta e sete anos da 2ª Guerra Mundial que teve como um dos saldos a elevação dos EUA como superpotência econômica e militar, assim como a URSS.Entretanto, com o fim da URSS, em 1990, os americanos enfim dominaram o mundo unipolarmente impondo suas vontades e seus desejos, muitos dos quais impublicáveis.

 

Hoje, passamos por mudanças profundas com a China despontando como potência econômica e tecnológica, tirando dos EUA sua hegemonia planetária.

 

Movimentos estes que geram grande instabilidade no mundo, inclusive, com guerras e ameaças catastróficas de um conflito nuclear. Tio Sam, seja em administrações republicanas ou democráticas, não abre mão de ser xerife do mundo e estabelecer suas vontades que gerem dividendos imensuráveis às suas empresas e ao seu Governo, afinal, na lógica capitalista o que vale é o capital. Tudo absolutamente tudo é dinheiro.

 

Neste jogo de gigantes,aonde não há inocentes, os países se colocam diante de duas opções: ou afirmarão sua soberania ou serão colônias abdicadas de seus destinos, servindo ao imperialismo ou ao jogo da geopolítica; embora, no caso da China, não há pretensão imperialista, pois o socialismo chinês é para a China.

 

Nós, latino-americanos e brasileiros, sabemos bem a que geopolítica nos levou. Fomos vítimas de golpes militares no auge da Guerra Fria, onde torturas, assassinatos e desaparecimentos foram praticados e legitimados pelas mentes colonizadas de parte de nossas Forças Armadas e de nossas classes dominantes.

 

Mais recentemente sofremosoutro golpe, agora mais sofisticado e impetrado pela Lava-Jato. Michel Temer, Eduardo Cunha, entre outros, hoje “ilustres democratas”, e como pano de fundo o Pré-Sal e a Petrobras, e a nossa soberania, isso tudo cumprindo o papel de vassalagem dos inquilinos da Casa Branca. Pagamos e continuamos pagando caro pelo golpe de 2016, coexistimos com parte de nossas elites apátridas, colonizadas na alma, que não titubeiam em vender ou liquidar nosso patrimônio e nosso destino.

 

Estamos em um processo eleitoral importantíssimo, inclusive, com ameaças de golpes e riscos à nossa democracia recentemente agredida, e temos a decisão: ou seremos soberanos ou colônia.

 

Devemos lutar, pois Tio Sam é a geopolítica. Não permite ilusões e inocentes neste mundo bélico, perigoso e disputado, onde os destinos de nosso povo estão em jogo, ou melhor em grande risco.

 

(*) Por Henrique Matthiesen, formado em Direito. Pós-Graduado em Sociologia.




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *