Sete associações do agronegócio do Brasil, incluindo Abag e Abiove, manifestaram, nesta segunda-feira (30), preocupação com os “atuais desafios à harmonia político-institucional” local, afirmando em manifesto que as tensões estão custando caro ao país e lavarão tempo para ser revertidas.

As entidades disseram que o Brasil não pode se apresentar à comunidade global como uma sociedade permanentemente tensionada em crises intermináveis ou sob risco de retrocessos e rupturas institucionais, e defenderam o Estado de Direito estabelecido pela Constituição de 1988.

O manifesto das associações ocorre após uma polêmica envolvendo Febraban e Fiesp, que vinham costurando uma carta em defesa da democracia.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta segunda (30), que a Fiesp teria se recusado a publicar o manifesto com críticas ao governo.

 

Da Reuters