Publicidade

Editorial II || Congresso vai aprovar lei para genocídio seletivo de pobres, autônomos e desempregados?

  • em


Nessa terça-feira (6/4), a Câmara dos Deputados (e Deputadas) aprovou texto básico de um projeto de lei que permitirá às empresas a aquisição de vacinas para aplicação em seus funcionários. Com essa medida, o Congresso Nacional leva ao diabólico limite o ditado “farinha pouca, meu pirão primeiro”, revelando o caráter de classe – e de castas – da sociedade brasileira.

 

Além da enorme contribuição da Presidência da República para causar doença e morte aos milhões de pessoas, num extermínio não seletivo, o Congresso Nacional parece estar caminhando para dar o toque final a esse genocídio, estimulando a seleção artificial de garantir a saúde de empregados e deixar por conta da lentidão do governo federal a vacinação dos desempregados, e dos pobres em geral, que trabalham no mercado informal (como ambulantes, por exemplo). Sem contar, que empresas, comprando vacinas, irá reduzir a quantidade comprada pelo leniente e incompetente governo Bolsonaro!

 

O texto-base do Projeto de Lei (PL) nº 948/2021 aprovado autoriza empresas privadas a comprarem vacinas contra a Covid-19 para imunizar os seus funcionários e familiares. A principal mudança do texto é retirar a exigência, atualmente prevista em lei, de que as empresas só podem começar a vacinação própria após a imunização dos grupos prioritários pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Por uma questão de justiça, diga-se que alguns deputados e deputados da chamada direita votaram “não”. O resultado final, entretanto, foi 317, “Sim”; 120, “Não”; 2, abstenções; e, 72, ausentes.

 

Após a aprovação do texto-base, seguirá, nesta quarta-feira (7), para a votação de destaques o que, infelizmente, não mudará o absurdo resultado do mérito.

 

Se o Senado Federal aprovar o texto da Câmara, restará aos pobres, aos desempregados, aos miseráveis, recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir o direito constitucional de priorizar a vacinação no SUS que, por ser universal, é fundamental para a saúde de grande parte da população, incluindo aí, a vida dos que seriam privilegiados com essa lei. Como se sabe, para chegarmos à imunização de rebanho, é necessário vacinar cerca de 70% da população.

 

Que outras medidas poderão vir no futuro próximo para segregar ainda mais a classe média baixa, os pobre e os miseráveis?

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *