Publicidade

É preciso mais fiscalização e transparência no processo de vacinação no Amazonas

  • em


Recebemos denúncias de possíveis desvios de dosagens da vacina, como também a existência de pessoas fora do grupo prioritário sendo vacinadas. Conforme fotos publicadas, essa pessoas seriam filhos de famílias influentes do estado, um deles nomeado um dia antes do início da vacinação. O atual prefeito de Manaus, Davi Almeida (Avante), em uma live, deu uma explicação, nada convincente, sobre o caso, mas afirmou que está fazendo uma portaria para proibir servidor público municipal de divulgar que recebeu a vacina contra covid-19.

 

Essas denúncias são gravíssimas e a atitude do prefeito é absurda, uma vez que a portaria fere os princípios da transparência. Além disso, essas informações são de interesse público, logo tem que ser divulgadas.

 

Para esclarecer essa situação, vou entrar com representações para que o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público Estado (MPE) façam a investigação dessas denúncias, tanto do desvio das doses, como também da vacinações indevidas. Vamos continuar acompanhando assunto e cobrar mais transparência no processo de vacinação, pois é preciso saber quem já foi vacinado.

 

Não é justo que pessoas furem filas da vacinação. Existe toda uma programação com prioridades, que inicia com os profissionais de saúde, que são os primeiros que precisam estar imunes para poder atender à população e depois os que têm a saúde mais fragilizada. Se isso de fato aconteceu é uma grande demonstração de desumanidade. Portanto, se houve esses crimes, os culpados devem ser punidos. O povo do Amazonas não merece tanto sofrimento.

 

 

Zé Ricardo é deputado federal (PT/AM)
  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *