Publicidade

Documentário com provas da parcialidade de Moro será lançado nesta quinta (10)

  • em


O documentário corrobora a parcialidade de Moro na condução dos processos da Lava Jato que, nos últimos dias, ganhou contornos ainda mais questionáveis, como a decisão de se tornar sócio da Alvarez & Marsal, que tem entre seus clientes empresas que foram julgadas por ele na Lava Jato como a Odebrecht. A decisão foi classificada como “desastre político” até por então defensores do ex-juiz.

 

O curta-documentário será lançado na próxima quinta-feira, 10/12 – Dia Internacional dos Direitos Humanos – às 19h, em diversas plataformas pela Internet, tendo como principal canal o facebook do Comitê Lula Livre, do Instituto Lula, Grupo Prerrogativas, ABJD e diversas páginas parceiras. O filme foi produzido pela Campanha Lula Livre.

 

“Lula era objeto de desejo da Lava Jato”

 

As provas das irregularidades de Moro nos processos que conduziu e de sua relação política e promíscua com a necessidade de condenação de Lula vão se desvelando uma a uma nos 21 minutos de documentário que teve o roteiro elaborado a partir do Habeas Corpus assinado pelos advogados do ex-presidente Lula, Cristiano e Valeska Zanin.

 

O documentário é apresentado por Julianna Gerais e Tadeu di Pietro. A atriz é conhecida, entre outros trabalhos, por sua atuação na série “Todxs Nós”, da HBO. Tadeu é diretor e ator com participação em diversas novelas transmitidas em rede nacional.

 

A história é contada a partir de recortes de jornais da época e dos autos do processo de suspeição de Moro que está no STF. As animações gráficas ajudam a compreender melhor os acontecimentos e amarrá-los numa sequência cronológica. Os apresentadores fazem a leitura do que cada movimentação feita por Moro e pela Lava Jato, na verdade, representou na construção dos processos contra Lula e, em consequência, para a democracia brasileira.

 

Dia Internacional dos Direitos Humanos

 

O dia 10 de dezembro é o Dia Internacional dos Direitos Humanos, data que relembra o lançamento da Declaração Universal dos Direitos do Homem pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948. “Todo ser humano tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa”, aponta um dos artigos da Carta.

 

Serviço: 

Lançamento do curta-documentário Moro: Mais que suspeito

Data: 10 de dezembro

Hora: 19h

Perfil da transmissão: Comitê Nacional Lula Livre, Instituto Lula e diversas páginas parceiras

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *