Pra Malu Verdi

Falem vocês da Morte
Eu falo da Vida
Falem vocês da Peste
Eu falo da Cura
Falem vocês do Medo
Eu falo da Esperança
Falem vocês de Saudades
Eu falo do Bem-Virá

Enquanto narram tristuras, me deixem,
por favor, contar pequenos regalos:

* A manhãzinha do Sol que exubera
e a noitinha quando exorbita –

* A coruja-buraqueira corujando os filhotes –

* O voo do carcará que pousa na antena de celular –

* Os ipês que se Van Gogh conhecesse seria maior –

* A Lua Cheia no céu deste domingo –

Tenho fases como a Lua, e estou na fase do Ovídio:
tudo o que digo é verso – quod tempto dicere uersus est –

Mas atenção: quando chegar a hora de caçar os monstros, me convoquem para a primeira fila –
São bélicos estes olhos que enxergam o Belo, cheios de fúria e sangue!