Publicidade

Cristina Kirchner renuncia ao salário de vice-presidente da Argentina

  • em


Cristina Fernández de Kirchner renunciou ao salário de vice-presidente da Argentina, após a restauração de seu subsídio vitalício mensal como ex-presidente, do qual havia sido “privada ilegitimamente” durante a gestão de Mauricio Macri.

 

Em carta enviada ao Secretário-Geral da Presidência, Julio Vitobello, Kirchner comunicou que, a partir de 1º de abril, rejeitará seu salário.

 

Ela informou que, no dia 3 de março, foi notificada da resolução da Administração Nacional da Previdência Social (ANSES), pela qual é restaurado o seu salário vitalício como ex-presidente da Argentina entre 2007 e 2015.

 

“Sua própria decisão”

 

 

Kirchner denunciou que foi “ilegitimamente privada” de sua missão durante a administração de Mauricio Macri “conforme resulta da respectiva decisão judicial datada de 29 de dezembro de 2020”, diz a carta.

 

 

A atual presidente do Senado argentino explicou que, embora com a regulamentação em vigor ela tenha o direito legítimo de receber seu salário como vice-presidente da Argentina, é sua decisão renunciar. Fernández de Kirchner também receberá pensão como viúva do ex-presidente Néstor Kirchner.

 

 

“Decidi renunciar a ele [seu salário de vice-presidente], da mesma forma que fiz com o que me foi concedido por decisão judicial para que o imposto de renda não fosse deduzido das minhas duas cessões vitalícias, por assimilação legal de tais abonos, que são recebidos pelos membros do Supremo Tribunal Federal, que, como todos sabemos, não pagam imposto de renda ”, concluiu.

 

 

Em dezembro do ano passado, o juiz Ezequiel Pérez Nami autorizou a vice-presidente a receber sua pensão de ex-presidente e a que lhe corresponde como viúva de Néstor Kirchner.

 

 

Com informações da Actualidad RT

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *