A criação de caprinos e ovinos tem melhorado a renda das famílias de produtores da comunidade de Brejo da Brasida, Território Sertão São Francisco, em Sento Sé, município baiano situado na região do semiárido, às margens do lago da Barragem de Sobradinho, a mais de 650 km de Salvador.

 

 

Os investimentos propiciaram o aumento e o melhoramento do rebanho. Com isso, o acesso ao mercado tornou-se uma realidade.

 

 

O governo Rui Costa (PT), por meio do projeto Bahia Produtiva, investiu R$ 571,3 mil na ovinocaprinocultura da localidade. O recurso foi aplicado em reprodutores ovinos e caprinos, em máquinas e equipamentos e em mudas de palma, destinadas à implantação de reserva estratégica de alimentos.

 

São beneficiadas, diretamente, 35 famílias ligadas à Associação dos Moradores de Brejo da Brasida, que contam também com a assistência técnica de um Assistente Comunitário Rural (ACR).

 

O presidente da associação, Manoel de Almeida, conta que as famílias da comunidade já criavam ovinos e caprinos, mas não tinham qualidade. “Estamos ampliando a nossa produção e comercializando tanto a carne quanto o leite. Nossa meta é passar a ser um distribuidor de reprodutores, procurar as melhores matrizes e fazer um melhor rebanho”.

 

Almeida afirma que, antes, os animais eram criados sem organização e não se contabilizavam nem a quantidade. “A gente criava, mas nem sei dizer quantos animais tínhamos. Hoje, temos uma visão bem diferente da nossa criação. Temos 3.607 cabeças, sendo que 334 nasceram nos últimos 3 meses. São animais melhorados, com maior produção de leite e carcaça para venda”.

 

Os animais da comunidade de Brejo da Brasida são vendidos para os municípios de Jussara, Sento Sé e Juazeiro. O leite é comercializado na região para consumo in natura e aproveitamento para doces e queijos.

 

O Bahia Produtiva é um projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), cofinanciado pelo Banco Mundial, e já investiu R$ 58,1 milhões na ovinocaprinocultura, beneficiando, diretamente, 3.753 famílias.