Publicidade

Coração Valente!

  • em



Às vésperas de 2022, que tem tudo para ser o ano da libertação do povo brasileiro, quero prestar minha homenagem à presidenta Dilma, vítima principal do terrível golpe do impeachment, que serviu de ponte para o fascismo bolsonarista destruir as conquistas do governo do PT e também do trabalhismo de Vargas.

 

 

De forma heroica, Dilma representa a força da mulher brasileira. Da mulher sem medo, que resistiu as torturas da ditadura militar. Da mulher competente, que formulou e executou do PAC, programa criado por Lula que fez crescer a economia e gerar milhões de empregos. Da mulher primeira presidenta do Brasil, que fez avançar as conquistas sociais do governo Lula.

 

 

Esses foram os motivos do golpe do impeachment, que na falta de motivos reais, fez uso contra a presidenta Dilma do machismo mais abjeto.

 

 

A presidenta Dilma enfrentou com dignidade e clareza política o processo do impeachment, denunciando de forma clarividente todas as consequências destruidoras desse golpe para o povo e a Nação brasileira.

 

 

Nas eleições de 2018, com o PT na defensiva, Lula injustamente preso e a ultradireita avançando no país, a companheira Dilma Rousseff, mesmo com todo esse cenário desfavorável, foi candidata ao Senado Federal, onde obteve a expressiva votação de 2,7 milhões de votos.

 

 

No fundo, a injustiça feita contra a presidenta Dilma é da mesma natureza golpista da injustiça contra o presidente Lula. As forças da direita e ultradireita, unidas, inventaram um pretexto qualquer, pedaladas fiscais, no caso da presidenta Dilma, e o apartamento que nunca foi seu, no caso do presidente Lula, para justificarem respectivamente o golpe de Estado de 2016 e o golpe eleitoral de 2018, que permitiu a eleição do genocida Bolsonaro.

 

 

Um povo nunca deve se esquecer dos golpes contra a democracia que sofreu no passado. A construção do futuro depende não apenas da leitura realista da conjuntura, mas também da compreensão dos porquês os golpes foram vitoriosos no passado.

 

 

A trajetória de luta da presidenta Dilma merece toda a admiração das forças democráticas e de esquerda, do movimento feminista e em especial, o orgulho do Partido dos Trabalhadores, por ela ter sido a primeira mulher presidenta do Brasil, e uma mulher de esquerda e do PT!

 

 

(*) Por Benedita da Silva, deputada federal PT-RJ

 

 




 

 

SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

 

 

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *