Ignorando os riscos de importar novas variantes do coronavírus e aumentar o contágio da Covid-19 no Brasil com a realização da Copa América, o governo Bolsonaro (ex-PSL) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) mantiveram a decisão da Conmenbol de realizar o evento aqui no País. Apesar dos jogos serem sem público, especialistas alertam para os riscos de aglomerações em bares, restaurantes e até mesmo em casa nos dias de jogos da seleção brasileira.

 

 

Brasília, que será umas das cidades sede da Copa América, tem pouco mais de 10% da população vacinada com a 2ª dose. Por outro lado, ao passo que o GDF envia projeto de lei para prorrogar, até o fim do ano, o estado de calamidade pública no DF, por conta da superlotação de pacientes infectados nos hospitais públicos e privados, o governador Ibaneis Rocha (MDB) se posiciona favorável à realização da Copa América em Brasília, mesmo que os números se mostrem preocupantes.

 

 

Apesar da inauguração de três hospitais de campanha no DF, a Covid-19 não dá trégua. Segundo o Portal InfoSaúde-DF, atualizado às 21h16 desta quarta-feira (2), 106 pacientes aguardam na fila de espera por um leito de UTI. Nas últimas 24 horas, o DF registrou 801 casos de infecções por Covid-19 e 28 mortes. Ao todo, 407 mil pessoas contraíram o coronavírus na capital federal e 8.720 pessoas perderam a vida.

 

 

Na avaliação da presidente do Conselho de Saúde no DF, Jeovânia Rodrigues, os governos distrital e federal cometem um grande erro ao aceitar uma competição dessa magnitude, ainda que sem público.

 

“É muito preocupante, pois temos ainda alta taxa de ocupação de leitos, pouca testagem, rastreio e bloqueio de contatos na cadeia de transmissão. Por outro lado há pouco avanço na vacinação e vários estados dão sinais de uma nova subida no número de novos casos, e com uma previsão real de terceira onda, na análise de vários epidemiologistas”, aponta.

 

 

GOIÁS

 

 

O estado goiano, que também será palco para a realização da Copa América, vem apresentando altos índices de contaminação. Nas últimas 24 horas 5.162 novos casos foram registrados. No mesmo período houve 100 mortes, elevando o total de óbitos para 17.267.

 

 

O deputado federal Rubens Otoni (PT-GO) criticou a decisão do governador Ronaldo Caiado (DEM) de aceitar o evento no estado. Para ele, a população precisa de vacina, emprego e auxílio emergencial. “Não é hora de circo para desviar a atenção das pessoas e levar mais gente à morte”, disse o parlamentar ao jornal Brasil Popular.

 

“É um absurdo que o governador aceite sediar a Copa América. Ele, como médico, sabe o risco que é a circulação de profissionais que virão de vários países para trabalhar e fazer a cobertura. Nada contra a Copa América. Se estivéssemos em situação normal eu defenderia a realização dela no Brasil”, acrescentou Otoni.

 

 

RIO DE JANEIRO

 

 

Também houve críticas no Rio, outra cidade que sediará o evento. A deputada estadual Renata Souza, líder do Psol na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), disse que uma iniciativa dessa nem deveria ser cogitada durante a pandemia.

 

 

“Mesmo antes da pandemia vivemos experiências de megaeventos no País, com impactos extremamente negativos para os cofres públicos e para a população pobre. A acolhida do Bolsonaro a essa demanda é coerente com o desgoverno genocida desse presidente”, destaca Renata.

 

 

Para a deputada estadual Mônica Francisco, também do PSOL-RJ, as decisões tanto de Bolsonaro quanto do governador Cláudio Castro (PSC) não fazem nenhum sentido.

 

 

“Deveríamos estar, neste momento, envidando todos os esforços para a compra de vacinas, garantia de vacinação em massa e não promovendo processos de aglomeração, de ocupação de estádios, o que pode acarretar daqui a algum tempo num novo colapso do sistema e ampliação de contaminação e disseminação de novas variantes”, defendeu.

 

 

MATO GROSSO

 

O estado mato-grossense registrou, nas últimas 24 horas, 1.858 novos casos e 38 mortes por Covid-19. Ao todo, foram confirmados 409.366 casos no estado e 10.984 óbitos.

 

 

O médico e deputado estadual do PT, Lúdio Cabral, também criticou a decisão do governador Mauro Mendes (DEM) de aceitar o evento no estado. “Os quase 500 mil mortos não poderão assistir nenhum jogo da Copa América”, disse.

 

 

“Cuiabá é a capital no País que tem a maior taxa de mortalidade por Covid-19 e alta taxa de transmissibilidade, com 1,20. Ou seja, 100 pessoas transmitem o vírus para outras 120. Portanto, estamos em ascensão do coronavírus graças ao relaxamento das medidas adotadas no estado. É um grande erro, pois a Argentina e Colômbia já abriram mão da Copa América e não tem sentido o governo negacionista do Brasil responder em menos de meia hora o e-mail da Conmenbol confirmando o evento no Páis”, criticou.

 

 

Com colaboração de Romário Schettino – Jornal Brasil Popular (JBP)/RJ; Kedma Karem – JBP/GO; e Laís Lucatelli – JBP/MT