Publicidade

Concurso pagará prêmio para novo símbolo do Rock Cerrado

  • em


Um dos mais tradicionais festivais de rock do Distrito Federal abriu concurso para renovar sua marca. O símbolo deve traduzir as principais bandeiras do evento: Música e Ecologia. As inscrições permanecerão abertas até o dia 5 de agosto de 2020, no site www.rockcerrado.com.br.

 

“A satisfação pela criação da marca, e não somente à premiação no valor de dois mil reais (destinada ao 1º lugar), deverá envolver as pessoas, chamando atenção para a importância do meio ambiente” – Essa é a expectativa da Comissão Organizadora do Rock Cerrado do Gama.

 

Os organizadores aproveitam a divulgação do concurso que definirá o novo símbolo do Rock Cerrado e abordam outras questões ligadas à 14ª edição do evento.

 

Palestras sobre preservação ambiental e declamação de poesias relacionadas à pauta ecológica – escritas por alunos da rede pública – poderão ter ajustes de formato e datas, se for o caso, observando a segurança sanitária de palestrantes, professores e alunos, devido à pandemia do coronavirus: “É uma questão de responsabilidade”, acentua a Coordenação Geral.

 

As apresentações musicais, inicialmente previstas para acontecer nos dias 12 e 13 de setembro próximo, durante a Semana do Cerrado, também estão sob análise de data e logística.

 

“2020 está exigindo soluções criativas. A humanidade se depara com um momento complicado para a saúde do corpo. Por outro lado, arte e entretenimento são essenciais para a saúde mental. Nossa relação com artistas e público é de empatia. O próprio festival registra períodos de incertezas e reinvenção ao longo de 34 anos de muita luta, em intervalos irregulares, por fatores diversos” – contextualiza o Coordenador Geral Carlos Trindade, remanescente da primeira edição do Rock Cerrado do Gama.

 

“A 14ª edição do evento está garantida, com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal. Contamos também com o suporte da Cia Lábios da Lua, que é uma ONG formada por produtores e artistas. As seletivas do Ceilândia, Gama, Plano Piloto e Valparaíso de Goiás podem até ser realizadas através de ‘lives’, via redes sociais. Mas não dá para abrir mão dos dois dias de apresentações na Praça do Cine Itapuã, com a presença do público. Os shows vão rolar, da melhor maneira, quando as autoridades da Saúde puderem garantir que não há mais risco de transmissão em massa do coronavírus” – avalia o Coordenador, que diz ainda:

 

“O Rock Cerrado inicia uma nova era com o concurso para reformulação da marca. O Festival sempre foi mais que shows. Nosso primeiro símbolo foi desenhado em preto e branco por um dos próprios idealizadores do certame artístico, chamado Guto – era uma árvore e uma guitarra. A Composição com um sol vermelho foi concebida cinco anos depois por um artista plástico residente no Gama, chamado Caumir. Temos uma história de coletividade. Ao começar a distribuir panfletos pelas ruas em 1986, estávamos propondo mobilização pelo meio ambiente, por meio da arte. Mas a concepção de tudo estava restrita a um núcleo de colaboradores próximos. Em 2020 a mobilização está nas redes sociais, é mais ampla. Com essa campanha, renovaremos a versão utilizada até o momento, que já veio de uma evolução visual. Artistas locais e do mundo inteiro podem acessar o site www.rockcerrado.com.br e participar da criação da nova marca, com o tema Música e Ecologia.”

 

Mais informações sobre o festival podem ser obtidas diretamente com a Coordenação Geral do Rock Cerrado do Gama, via WhatsApp 61 99589-7165 ou pelo e-mail rockcerradorc@gmail.com.

 

Moradores do Gama prestigiam o Rock Cerrado na década de 1980
Foto: Arquivo do Rock Cerrado
  • Compartilhe