Publicidade

Com média de 2.543 mortes diárias, Brasil registra 2.070 óbitos em 24 h

  • em


Nesta quinta-feira (22), o Brasil registrou 2.027 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou, com isso, 383.502 óbitos acumulados desde o início da pandemia do novo coronvaírus.

 

Com esses dados, registra-se também uma média móvel de mortes no País, nos últimos 7 dias, de 2.580. Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e indicam também que, há 92 dias seguidos, o Brasil mantém uma média móvel de mortes acima de mil e 37 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia.

 

os dados do Conass revelam também que são 27 dias com a média acima da marca de 2,5 mil. Já os dados do levantamento do consórcio de veículos de imprensa, reveça, que o País contabilizou 2.070 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou 383.757, nesta quinta-feira (22), óbitos desde o início da pandemia.

 

Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 2.543. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -13%, indicando tendência de estabilidade nos óbitos decorrentes da doença.

Bolsonaro

 

Em sua live semanal desta quinta-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL) ignorou a decisão do Supremo Tribunal Fedeal (STF) que confirmou a suspeição de Moro contra Lula e voltou a atacar o lockdown e a defender medicamentos sem eficácia contra a Covid-19.

 

Apuração da Revista Fórum dá conta de que, durante a tal live semanal, ele defendeu o que a ciência do mundo inteiro diz que não existe: o chamado “tratamento precoce” contra a Covid-19. Um “tratamento” que não tem eficácia comprovada e pode, inclusive, matar que se submete a ele.

 

O presidente voltou a diminuir a complexidade e, sobretudo, a letalidade da Covid-19, que já matou, em 1 ano e 1 mês, quase 400 mil pessoas em números visíveis. Esse número é subnotificado deliberadamente pelo governo federal e pode já ter matado muito mais do que o que se tem divulgado.

 

Mesmo assim, ele comparou a doença do coronavírus ao câncer de próstata e ao câncer de mama. “O que é o Outubro Rosa? É o câncer de mama. O que que é o Novembro Azul? O câncer de próstata. Uma vez descoberto o câncer de próstata, vai para o tratamento rápido. Agora, por que no caso do Covid tem que ir para casa e ficar com o protocolo Mandetta até sentir falta de ar e ir pro hospital? Vai para o hospital fazer o quê? Ser intubado. É um crime o que fazem no Brasil. É uma patifaria o que fazem no tocante ao Covid. Parece não. Para estes caras, interessa morrer gente”, disse, de forma confusa, o presidente.

Especialistas acusam governo federal de ser maior responsável pela alta mortalidade

Com 14 milhões de infecções, o Brasil ocupa o terceiro lugar mundial em número de casos de coronavírus. Quanto aos óbitos, já são mais de 378 mil mortes, que só aumentaram nas últimas semanas. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Brasil aprovou o uso emergencial do segundo medicamento para tratamento de coronavírus, Regn-CoV2. No âmbito da campanha de vacinação brasileira, 27,1 milhões de pessoas já receberam a primeira dose da vacina, equivalendo a 12,83% da população brasileira, e 10,7 milhões já receberam a segunda dose, ou seja, 5% da população.

Leia matéria completa no Sputnik Brasil

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *