A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta

 

 

Nesta segunda-feira, 26 de julho, completam-se 100 anos do nascimento de Celso Furtado. Em entrevista ao Museu de Astronomia e Ciências Afins, a jornalista e tradutora Rosa Freire D’Aguiar, viúva e curadora da obra do economista, chamou a atenção para a atualidade da produção do intelectual: “Ele deixou mais de 30 livros escritos. Eu diria que desses, talvez a metade mantenha uma impressionante atualidade. Celso não escrevia, digamos, muito voltado para a atualidade, mas num nível um pouco mais teórico, mais abrangente.”

 

 

Celso Furtado nasceu em 1920, em Pombal, Paraíba, e faleceu no Rio de Janeiro, em 2004. Foi economista da Comissão Econômica para a América Latina (Cepal), criou e dirigiu a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Foi ministro do Planejamento do Governo João Goulart e, ao voltar do exílio, ministro da Cultura do Governo José Sarney. Escreveu cerca de 30 livros sobre teoria, política e história econômicas, entre eles o clássico Formação econômica do Brasil.

 

 

Entre as várias homenagens pelo centenário, um debate ao vivo será realizado pela Fundaj nesta terça-feira, às 18h, com Rosa Freire e a participação especial do economista Alexandre Barbosa (IEB-USP), um dos mais importantes estudiosos da obra de Celso Furtado. No Canal do MultiHlab.