Publicidade

Carreata contra Bolsonaro, em Brasília, atrai mais de 800 veículos com manifestantes

  • em


 

Brasília viveu, neste sábado (23), um dia agitado em política em razão de uma carreata convocada pelos partidos de oposição e as centrais sindicais para protestar contra os desmandos do governo Bolsonaro, exigir seu impeachment e, ao mesmo tempo, defender a vacinação para todos contra a Covid-19 , além da  volta imediata do auxílio emergencial.

 

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), deputada Gleisi Hoffmann, estava no carro de som que comandava a manifestação, tendo feito uso da palavra em diversas ocasiões, quando afirmou que “o Brasil não pode mais permitir um presidente genocida” e que a Câmara dos Deputados deve, “imediatamente, iniciar o processo para o afastamento do Presidente da Repúblico, por diversos crimes de responsabilidade”.  Alem disso, a líder petista disse que a bancada do PT na Câmara, a maior, nesta Legislatura, fará todo esforço possível para viabilizar a volta do auxílio emergencial, suspenso pelo atual governo, sob alegação de inexistência de recursos financeiros públicos para o seu pagamento, quando privilegia os banqueiros com volumosos aportes de capital público.

 

A carreata teve a participação de representantes do PSB, PC do B, PSOL, Rede  e PCO, além de dirigentes sindicais  da CUT e da CTB. Para Klayton Moraes, presidente do Sindicato dos Bancários do DF, a carreata, também realizada em diversas capitais do País, foi uma demonstração da crescente de insatisfação da sociedade com o governo Bolsonaro, sobretudo, em razão de sua irresponsabilidade em relação a uma pandemia que tem ceifado a vida de tantos brasileiros. Para o líder bancário, Bolsonaro ultrapassou todos os limites, governa com desprezo pela vida humana e deve ser alvo imediato de um processo de impeachment.

 

A deputada federal Érika Kokay (PT-DF), única parlamentar de esquerda do DF na Câmara dos Deputados, também discursou elogiando e agradecendo a ajuda solidária do governo de Nicolás Maduro, pelo envio de carretas com oxigênio para Manaus, cuja falta , derivada de irresponsabilidade criminosa do governo federal, já causou a morte de um número assustador de manauaras, muitos levados a óbito em casa, sem socorro médico, na frente de familiares, causando traumas irreversíveis em seus entes queridos.

 

O presidente da TV Comunitária de Brasília, jornalista Paulo Miranda , que cobriu ao vivo a carreata, destacou a importância do movimento  que “abraçou” a Esplanada dos Ministérios, percorreu a Asa Norte e depois a Asa Sul, avaliando que a pressão pelo impeachment de Bolsonaro vai se tornar insuportável. Miranda também agradeceu a solidariedade da Venezuela Bolivariana e também da República Popular da China, que acaba de doar 1.900 cilindros de oxigênio para Manaus.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *