Em 1º de abril de 1964, uma mentira foi transformada na mais dura, sinistra e torpe realidade e permaneceu por 25 anos colocando nas trevas a vida no Brasil.
Sob pretexto do combate ao avanço comunista nas instituições nacionais, a elite finanaceira e política do país contando com o apoio da mídia tradicional possibilitou que as Forças Armadas afastassem o Presidente da Républica.João Goulart, um civil eleito pelas urnas foi tirado do cargo e implantada uma ditadura militar. Essa intervenção perdurou até o ano de 1985.

 

As verdades das atrocidades cometidas nos porões da ditadura, as torturas praticadas contra mães diantes dos filhos foram reais. Estupros, choques elétricos em partes da genitália de presos, mortes e desaparecimentos dos corpos são atestados vivos que o regime militar e seus representantes praticaram os mais horrendos tipos de crimes contra a humanidade.
Isso é a realidade

 

 

A mentira sempre esteve presente nos atestados de óbitos emitidos por legistas envolvidos em torturas, nas negações das prisões praticadas contra opositores do regime, nos artigos publicados pela grande imprensa ou nos confrontos armados que mascaravam execuções puras e simples dos cidadãos.

 

A verdade ficou pra revelar 434 militantes mortos ou desaparecidos – desses, só 33 corpos foram encontrados. Mais de 8.000 indígenas assassinados, casos de loucuras de torturados e suicídios praticados por aqueles que sofreram violências nos cárceres.

 

 

Hoje, 1º de abril de 2019, 55 anos de depois, a mentira continua protagonista de um período nebuloso da história política nacional. A mesma elite política e financeira, lá de 1964 ( lembram-se?), com representantes daquela velha imprensa da mesma época assumiu o controle do poder através de um golpe derrubando a presidente eleita Dilma Rousseff.

 

 

Mais uma vez “a tal da ameaça comunista” andava perturbando as tradições e a tranqulidade da família brasileira sendo preciso outra intervenção, porém, adequada aos novos tempos tecnológicos onde é possível substituir um tanque de guerra por um computador para convencer as massas.

 

 

A mentira retorna maquiada e triunfante sob o formato de ”fake news” , prende Lula e elege um obtuso representante das Forças Armadas como presidente da República Federativa do Brasil. Tudo nos conformes, inclusive através do voto popular manipulado ( dessa vez, a mentira conseguiu superar ela mesmo), vide, as declarações do capitão eleito que afirma que nem ele mesmo acreditava que seria eleito.

 

 

Isso é realidade.

 

 

Bolsonaro alegar que não houve golpe militar no Brasil ?

 

 

Ele deve estar brincando de 1° de Abril !

 

 

 

(*) Zuggi Almeida é baiano, escritor e roteirista