Dados do consórcio de veículos de imprensa divulgados, nesta sexta-feira (4), mostram que o Brasil registrou 1.184 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando, nesta sexta, 470.968 óbitos desde o início da pandemia.

 

“Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 1.685 –o menor registro desde 10 de março, abaixo da marca de 1,7 mil. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -12% e indica tendência de estabilidade nos óbitos decorrentes do vírus. É o 17º dia seguido de estabilidade nessa comparação”, informa o G1.

 

 

Importante ressaltar que todos os dados, tanto os do consórcio de imprensa como os do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) estão subnotificados.Um estudo da Unversidade Federal de Pelotas (UFPel), de 2020, mostra que a alta taxa de incidência da doença no Brasil é agravada pela subnotificação de casos identificada em várias pesquisas, como a da própria UFPel, que, por exemplo, passou a preconizar que deveríamos multiplicar o número oficial de casos por pelo menos 5 ou 6 vezes para termos uma ideia mais exata da real incidência da Covid-19.

 

Além do estudo, essa informação está no artigoA polêmica da vacina Sputnik V e seus riscos: outra visão, de Geraldo Lucchese, farmacêutico, sanitarista, doutor em Saúde Pública pela ENSP/Fiocruz. Assim, apesar das subnotificações, é possível multiplicar os números divulgados e chegar nos números próximos da realidade de óbitos da Covdi-19 no Brasil.

 

 

Sendo assim, o último boletim do Conass informa que o Brasil contabilizou 470.842 mil mortes por Covid-19, nesta sexta-feira (4),após registrar 1.454 óbitos pela doença nas últimas 24 horas.O Conass indica também que o número de infectados já passa de 16,8 milhões desde o início da pandemia do novo coronavírus.

 

De acordo com o conselho, em número total de casos fatais, o Brasil só está atrás dos EUA, onde já morreram mais de 600 mil pessoas em decorrência do vírus.

 

Terceira onda

 

Apuração do Correio Braziliense revela que a iminência de uma terceira onda de Covid-19 tem preocupado especialistas, especialmente. com a confirmação da chegada da variante do vírus proveniente da Índia ao País.

 

Na quarta-feira (2/6), um paciente no Rio Grande do Norte, suspeito de ter contraído a cepa indiana, morreu. Já há casos confirmados e outros suspeitos em vários locais do Brasil.

 

O Correio Braziliense também pondera que é importante ressaltar que, mesmo que o número de mortes diárias no Brasil esteja abaixo do recorde da pandemia no País, quando morreram 4,2 mil brasileiros em um único dia, o número de casos tem se mantido alto. No último período, foram registrados 37.936 casos, totalizando 16,8 milhões de infectados desde o início da pandemia. Na semana, já foram contabilizados 424,1 mil casos.