Publicidade

Brasil concentra 40% da perda mundial de florestas nativas em 2021

  • em



Com Bolsonaro e sua irresponsabilidade, o Brasil atingiu o maior número de toda perda de florestas nativas no mundo. Dados do Global Forest Watch (GFW) revelam que o país concentrou 40% de toda a perda mundial, com redução de 1,5 milhão de hectares. Os índices, segundo o estudo, variaram entre 1,3 e 1,7 milhões a partir da gestão de Bolsonaro.

 

Pelo menos 359 mil hectares do total da perda ocorreram devido a incêndios, o que evidencia o avanço de diversos causadores e ameaças de desmatamento na Amazônia. As informações são da plataforma de monitoramento desenvolvido pela Universidade de Maryland.

 

O GFW identificou as reduções de florestas úmidas tropicais, que são ecossistemas importantes para a natureza devido às árvores de mais de cinco metros de altura.

 

Desde o início da série histórica do GFW, em 2002, o Brasil passou por um ciclo de redução da curva de perda de florestas, entre 2004 e 2014, época do governo PT.

 

Entretanto, nos últimos sete anos o desmatamento voltou a ocorrer em níveis alarmantes, chegando a ficar próximo aos 3 milhões de hectares em 2016, ano em que Dilma Rousseff sofreu o golpe. A partir do início da gestão Bolsonaro, os índices dispararam.

 

combate ao desmatamento no governo Lula sempre fez parte do legado do partido. Em 2018, Lula ganhou o prêmio Chico Mendes de Florestania pelo governo do Acre por seu legado em defesa ao Meio Ambiente.

 

Crescimento da ilegalidade

 

Praxe no governo de Bolsonaro, os cortes no orçamento do Ministério do Meio Ambiente e a ausência de fiscalização e políticas públicas contribuíram para o crescimento da ilegalidade.

 

Segundo o estudo, a atual gestão do governo federal com uma política antiambiental intensificou os desmatamentos com a paralisação, por exemplo, do Fundo Amazônia.

 

Outro problema apontado pela pesquisa é suspensão de demarcação e proteção de terras indígenas, já que os povos originários são considerados, inclusive como consta nos recentes relatórios do IPCC, como barreiras contra o desmatamento na Amazônia. Nos dados do GSW, é possível ver avanço da perda de floresta principalmente no oeste amazônico, em estados como Acre, Amazonas e Rondônia.

 

Em entrevista ao jornal O Globo, a diretora de Florestas, Uso da Terra e Agricultura do WRI Brasil, Fabíola Zerbini, alerta que “nesse cenário, o futuro é preocupante.”

 

“Algumas áreas da Amazônia começam a chegar num ponto irreversível de desertificação. A continuidade desse ritmo de perda da floresta causará grandes impactos no país e no mundo, começando pelo não cumprimento de metas climáticas e na crise hídrica nacional, inclusive para a agricultura. Por fim, o Brasil perderia esse ativo que é a floresta amazônica”, explica a especialista.

 

Ela também destaca o retrocesso no debate sobre meio ambiente e a falsa dicotomia imposta por setores da sociedade, que “enxergam a floresta como um entrave para o progresso econômico, um discurso empoderado na atual gestão do governo”.

 

Fabíola Zerbini enfatiza que soluções para o cenário crítico do país em relação ao desmatamento precisam de orçamento e de criação de políticas públicas, com parcerias com o setor privado.

 

Aumento do desmatamento em terras públicas

 

Outra especialista, a gerente de ciências do WWF-Brasil, que também foi entrevistada pelo jornal O Globo, Mariana Napolitano, alerta sobre o aumento no número de desmatamento em terras públicas por conta da flexibilização de medidas de conservação, reduções orçamentárias e incentivo à grilagem, tanto no Executivo quanto no Legislativo, no governo de Bolsonaro.

 

“O cenário é muito triste. Estamos perdendo algo que será muito difícil recuperar na frente, e com valor que em muitos casos nem conhecemos ainda. Há uma urgência nessa agenda que muitas vezes as pessoas desconhecem.”

 

Mariana ressalta ainda que “é assustador o Brasil ser responsável por 40% da perda de floresta primária no mundo. Significa que temos uma das principais fronteiras de desmatamento do mundo, e em muitos casos é bastante associado a atividades ilegais, com invasões de terras públicas e protegidas”.

 

PTNacional, com informações do O Globo

 




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *