Publicidade

Braga Netto e comandantes das Forças Armadas repudiam fala de Aziz

  • em



O avanço e descobertas da CPI da Pandemia da Covid-19, no Senado Federal, tem mexido com os ânimos dos quase 8 mil militares empregados em cargos civis na Administração Pública pelo governo Jair Bolsonaro (ex-PSL) e comandantes das Forças Armadas.

 

Em nota oficial divulgada na noite desta quarta-feira (7), o ministro da Defesa, Braga Netto, e os comandantes das três Forças Armadas repudiaram declarações do senador Omar Aziz (PSD), presidente da CPI da Covid e, embora a história do Brasil mostre o contrário, a nota cita que são elas, as Forças Armadas, são as instituições que garantem da democracia no País.

 

Na sessão desta quarta-feira, Aziz disse que há muitos anos o Brasil “não via membros do lado podre das Forças Armadas envolvidos com falcatrua dentro do governo”.

 

Na nota, compartilhada pelo presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais, Braga Netto e os comandantes acusam Aziz de desrespeitar as Forças Armadas e generalizar esquemas de corrupção.

 

“Essa narrativa, afastada dos fatos, atinge as Forças Armadas de forma vil e leviana, tratando-se de uma acusação grave, infundada e, sobretudo, irresponsável”, afirma a nota. Os signatários do comunicado dizem ainda que as instituições militares são fator “essencial de estabilidade” e pautam-se pela observância da lei e pelo equilíbrio.

 

“As Forças Armadas não aceitarão qualquer ataque leviano às instituições que defendem a democracia e a liberdade do povo brasileiro”, dizem os autores da nota.

 

Confira a íntegra da nota abaixo:

 

O Ministro de Estado da Defesa e os Comandantes da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira repudiam veementemente as declarações do Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, Senador Omar Aziz, no dia 07 de julho de 2021, desrespeitando as Forças Armadas e generalizando esquemas de corrupção.

 

 

Essa narrativa, afastada dos fatos, atinge as Forças Armadas de forma vil e leviana, tratando-se de uma acusação grave, infundada e, sobretudo, irresponsável.

 

 

A Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira são instituições pertencentes ao povo brasileiro e que gozam de elevada credibilidade junto à nossa sociedade conquistada ao longo dos séculos.

 

 

Por fim, as Forças Armadas do Brasil, ciosas de se constituírem fator essencial da estabilidade do País, pautam-se pela fiel observância da Lei e, acima de tudo, pelo equilíbrio, ponderação e comprometidas, desde o início da pandemia Covid-19, em preservar e salvar vidas.

 

 

As Forças Armadas não aceitarão qualquer ataque leviano às Instituições que defendem a democracia e a liberdade do povo brasileiro.

 

 

Walter Souza Braga Netto – Ministro de Estado da Defesa

Almir Garnier Santos – Comandante da Marinha

Gen Ex Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira – Comandante do Exército

Ten. Brig. Ar Carlos de Almeida Baptista Junior – Comandante da Aeronáutica

Do jornal A Tarde com edição do Jornal Brasil Popular

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *