“PM abre caminho para os caminhões dos bolsonaristas na Esplanada. A ordem era proibir até mesmo a passagem de pedestres na área da Praça dos Três Poderes”, lembra o site brasiliense Misto Brasília, em matéria que explica a invasão dos latifundiários, empresários, caminhoneiros bolsonaristas, na noite desta segunda-feira (6), da Esplanada dos Ministérios

O Misto Brasília explica que “o esquema de segurança tinha sido antecipado para a Esplanada do Ministério desde ontem, quando barreiras policiais impediam a passagem de veículos. O desvio do trânsito foi antecipado desta terça-feira, feriado nacional, para a segunda feira (06), ampliando-se os pontos de checagem. Toda a operaçào foi por água abaixo por volta das 21 horas, quando os caminhões convocados pelo o ato de Jair Bolsonaro chegaram pela Avenida das Nações”.

A barreira policial que havia sido montada perto da Rodoviária e, agora, após a invasão dos bolsonaristas, está na frente do Ministério das Relações Exteriores, quase na altura do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF), alvos da ira dos manifestantes.

Relato do site do Metrópoles informa que, ao chegarem ao local, alguns arrancaram as grades colocadas na rua anterior ao prédio do Congresso Nacional, mas foram controlados pela polícia e por outros participantes do ato.

Pedestres bolsonaristas, que também lotaram os hoteis do Plano Piloto (centro da capital federal), também desceram em peso para a Esplanada horas antes da invasão já prevista e ocuparam o canteiro central e a lateral do Ministério da Economia com barracas. O plano era revistar todo mundo que entrasse na Esplanada, sobretudo para detectar armas, na própria terça-feira (7), e vetar o trânsito de veículos, mas ninguém que acessou a área passou pelo procedimento.

O caminhoneiro conhecido como “Zé Trovão”, que está foragido após ter a prisão decretada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), convocou apoiadores de Bolsonaro para “entrar na Esplanada”, mesmo sabendo do bloqueio estabelecido.

O fato é que, na véspera dos atos convocados pelo presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL), seu apoiadores lotadram os hoteis da capital do País, bem como as áreas de camping e outras instalações da cidade, como, por exemplo, vários clubes da orla do Lago Paranoá e os hoteis do centro de Brasília.

Estão munidos de bandeiras do Brasil e faixas. Na invasão da Esplanada dos Ministérios, além dos pedestres, levaram para o local os caminhões, ônibus e outros veículos. No fim da tarde desta segunda-feira (6/9), grupos se reuniram em frente à barreira da Polícia Militar (PM) e “pressionaram” até conseguir a liberação da via, que estava bloqueada desde domingo (5/9).

Após a liberação da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), caminhoneiros descumprem promessa feita na negociação, de apenas desfilar pela via, e estão estacionados nas seis faixas do Eixo Monumental rumo à Praça dos Três Poderes, na noite desta segunda-feira (6/9).

Em nota, a PMDF disse que, anteriormente, o combinado com a Secretaria de Segurança Pública era de que os veículos só seriam liberados a partir de zero hora e que a antecipação “está sendo negociada”. No entanto, caminhões e ônibus já foram autorizados a entrar e desfilam pela Esplanada.

Os manifestantes entoam críticas ao Poder Judiciário e pedem que os ministros sejam substituídos.

Nos grupos, há caminhoneiros que vieram de outros estados para Brasília e estão acampados em ao menos três pontos na capital.

Nas redes digitais, circula uma nota com o avisto: “URGENTE: a PM de Brasília liberou a baderna e a barreira na Esplanada dos ministérios foi rompida com muita facilidade por bolsonaristas e os prédios do Congresso e o Supremo correm grave risco de invasão e depredação. Ibanéis Rocha, o governador do DF sumiu. AJUDE A DIVULGAR!”

 

 

 

 

 

Dos sites Metrópoles e Misto Brasília com edição do Jornal Brasil Popular (JBP)