Publicidade

Bancários do Banco do Brasil deflagram greve de 1 dia contra a desestruturação

  • em


A paralisação ocorreu, nesta sexta-feira (29), com concentração, no sindicato, às 8h

 

Os bancários do Banco do Brasil realizam uma paralisação por 24 horas. O movimento começou, nesta sexta-feira (29),  para protestar contra a proposta de reestruturação do Banco do Brasil anunciada recentemente, a qual vai, no entendimento da categoria, promover a desestruturação do Banco do Brasil. A paralisação foi decidida, na segunda (25/1), em assembleia virtual de funcionários do banco.

 

Os dirigentes e delegados sindicais, bancários de base e ativistas em geral se concentram na sede do Sindicato, às 8h, para organizarem a ações e garantir a paralisação geral do BB.

 

O sindicato e a categoria combatem a reestruturação porque a proposta prevê um conjunto de medidas que visam enxugar a estrutura do BB. O governo pretende demitir mais de 5 mil funcionários, fechar de 361 unidades de atendimento, sendo 112 agências, 7 escritórios e 242 postos de atendimento. Além de reduzir os salários em até 40%.

 

“Precisamos reverter urgentemente essa desestruturação. Temos como objetivo alertar toda a população para a importância da luta em defesa de um Banco do Brasil alicerçado como instituição pública indissociável da vida dos brasileiros e do processo de desenvolvimento do nosso país. Vários municípios brasileiros têm apenas a nossa agência em operação e com essa desestruturação, muitos ficarão desassistidos. Isso obrigará o pequeno agricultor, por exemplo, a percorrer longa distância se deslocando para outro município em busca de uma operação”, alertou o presidente do Sindicato dos Bancários de Brasília, Kleytton Morais.

 

Durante a semana, diversas mobilizações denunciaram ao funcionalismo e toda a sociedade os riscos da reestruturação do banco. O Sindicato organizou plenárias, reuniões com funcionários, carreatas, mobilizações nas redes sociais e muito mais.

 

“Nosso objetivo é chamar a atenção do governo e da sociedade para nossa causa. Após o Dia Nacional de Paralisação continuaremos articulando um processo de mobilização vigoroso e crescente. Por isso, nós, do Sindicato dos Bancários, convidamos todas e todos a engrossarem esta importante luta em defesa dos direitos dos trabalhadores e em defesa do BB”, convocou Kleytton Morais.

 

Da redação

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *