Publicidade

Aumentam denúncias de violações de direitos dos idosos

  • em


DF recebeu 989 denúncias, em 2019, segundo o Disque 100, aumento de 29% em relação a 2018. Essa luta é celebrada nesta segunda-feira (15)

 

Dados divulgados pelo Disque 100 apontam 48.446 denúncias de violações de direitos das pessoas idosas em 2019, um crescimento de 30% no comparativo com 2018. O Distrito Federal fechou 2019 com o total de 989 denúncias, aumento de 29% no período. (769). É a terceira unidade da Federação com a maior taxa de violações de direitos da pessoa idosa, atrás somente de Rio de Janeiro e Minas Gerais.

 

Esse é o cenário atual, neste momento em que se celebra o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, 15 de junho, data instituída em 2006 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa.

 

A Sejus tem entre as suas atribuições a formulação de políticas públicas para os idosos e alerta para os dados do Disque 100. Para a secretária Marcela Passamani, “os números revelam uma situação preocupante de violência no Brasil e que demandarão o aprimoramento das políticas públicas para essa população que é mais vulnerável, ainda mais em tempos de isolamento social com a pandemia da Covid-19”.

 

A secretaria encaminha as denúncias recebidas pelo Disque 100 relacionadas à pessoa idosa ao Conselho Distrital dos Direitos do Idoso quando elas são referentes a casos ocorridos em Instituições de Longa Permanência de Idoso (ILPIs). As demais são enviadas pelo Ministério da Mulher da Família e dos Direitos Humanos para os órgãos competentes.

 

Dentre as políticas públicas implantadas pela Sejus para a pessoa idosa está a implantação de três telecentros em São Sebastião, Recanto das Emas e Sol Nascente. Eles visam a inclusão digital social e comunitária da pessoa idosa e a ideia é implantar um em cada região administrativa.

 

Em relação à reativação dos Centros de Convivência, há um em funcionamento no Recanto das Emas e outro no Paranoá. Eles prestam serviços de terapia ocupacional, oficinas, atividades físicas e acompanhamento médico, além de outras modalidades de lazer e interação comunitária.

 

Para os próximos anos está prevista a implantação da clínica móvel de saúde para a pessoa idosa e a construção da primeira Instituições de Longa Permanência de Idoso pública para acolher os idosos de baixa renda.

 

Denuncie: Disque 100; Decrin, Ligue 197 ou delegaciaeletronica.pcdf.df.gov.br.

  • Compartilhe