Publicidade

Aulas virtuais na rede pública do DF só contarão presença a partir de 13 de julho

  • em


O novo secretário de Educação do Distrito Federal, Leandro Cruz, recebeu representantes do Sinpro (Sindicato dos profissionais de ensino da rede pública), na quarta-feira (24). Ele ouviu os relatos sobre as principais dificuldades que os servidores enfrentam para lidar com aulas remotas, ferramentas tecnológicas e planejamento das atividades.

 

Diante do que foi apresentado pelo sindicato, a Secretaria de Educação decidiu ampliar o tempo de acolhimento até o dia 12 de julho, período que terminaria nesta sexta-feira (26). Assim, segundo a própria nota da Secretaria, as aulas que valeriam como dia letivo a partir do dia 29 de junho só passarão a contar após esta extensão do período de acolhimento. As presenças não serão registradas a partir da próxima segunda-feira (29), como estava previsto, mas somente a partir de 13 de julho.

 

Muitos estudantes também estão enfrentando dificuldades para acessar a sala de aula virtual. Alguns tentam entrar, mas estão com problema na senha, outros não têm internet e há também os que não possuem equipamentos adequados.

 

Na próxima semana será lançado, em parceria com a Universidade de Brasília (UnB), um aplicativo que possibilita o acesso gratuito ao programa Escola Em Casa. O governo informou também que em breve assinará o contrato de um pacote de dados móveis gratuito para estudantes e professores de todas as etapas e modalidades que não possuem acesso à internet.

 

Com informações do Sinpro-DF e da Secretaria de Educação
  • Compartilhe