Sergio Mamberti morreu esta madrugada aos 82 anos…
Pranto por Sérgio Mamberti. imprescindível.
(Pedro Tierra)

 

Artista construiu sólida carreira nos palcos de teatro e de TV. Era filiado e militante do Partido dos Trabalhadores (PT). Um dos seus personagens mais famosos foi o Doutor Vitor, na série “Castelo Rá-Tim-Bum”, da TV Cultura. Ele estava internado com uma infecção nos pulmões e faleceu em decorrência de falência múltipla de órgãos na madrugada desta sexta-feira (3)

 

O ator Sérgio Mamberti, de 82 anos, morreu na madrugada desta sexta-feira (3) em São Paulo. O artista estava internado em um hospital da rede Prevent Sênior, na capital paulista. A informação foi confirmada por um dos filhos do ator, Carlos Mamberti. Apuração do G1 diz que Carlos informou que o pai estava intubado, com uma infecção nos pulmões. Ele morreu em decorrência de falência múltipla de órgãos.

 

Em julho deste ano, Mamberti havia sido hospitalizado para tratar de uma pneumonia e chegou a passar por uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Após cerca de 15 dias, se recuperou e teve alta.

Carreira

O ator colecionou papéis de destaque. Segundo apuração da Globo, foi nas séries que ele viveu seu personagem mais querido, o saudoso Dr. Victor do Castelo Rá-tim-bum, da TV Cultura de São Paulo.

Também participou de produções da TV Globo, como “A diarista” e “Os normais”. “Atualmente, esteve no elenco de “3%”, série brasileira produzida pela Netflix.

Mamberti dirigiu peças importantes no circuito paulista. Em 2019, estreou, ao lado de Rodrigo Lombardi, a premiada “Um panorama visto da ponte”.

Estreou no cinema em 1966 com a comédia “Nudista à força”, de Victor Lima. Depois, emplacou inúmeros sucessos: “O Bandido da Luz Vermelha” (1968), “Toda Nudez Será Castigada” (1973), “O Homem do Pau Brasil” (1980), “A Hora da Estrela” (1985), “A Dama do Cine Shangai” (1987).

Também estrelou filmes infantis como “Xuxa Abracadabra” (2003) e “O Cavaleiro Didi e a Princesa Lili” (2006).

Mamberti também reinou nas novelas. Um de seus primeiros papéis de destaque foi como João Semana em “As Pupilas do Senhor Reitor” (1970).

Depois disso, atuou também em , “Brilhante” (1981), “Anjo Mau” (1998), “O Profeta” (2007), “Flor do Caribe” (2013), “Sol Nascente” (2016), entre outras. Seu maior sucesso foi o mordomo Eugênio na clássica “Vale Tudo” (1988).

Grande articulador cultural, abrigou em sua casa em São Paulo artistas vindos do Brasil e de fora que precisavam de abrigo. Entre seus hóspedes, estão os Novos Baianos, Asdrúbal Trouxe o Trombone e The Living Theatre.

Em 2021, lançou a autobiografia “Sérgio Mamberti: Senhor do meu Tempo”, escrita com o jornalista Dirceu Alves Jr.

O ator Sérgio Mamberti, em cena da novela 'Vale Tudo' — Foto: Acervo Globo
O ator Sérgio Mamberti, em cena da novela ‘Vale Tudo’ — Foto: Acervo Globo

Biografia

 

Mamberti nasceu em 22 de abril de 1939, na cidade de Santos, litoral de São Paulo. Durante mais de 60 anos, dedicou-se à arte e à cultura brasileiras por meio de diversas atividades: foi ator, diretor, produtor, autor, artista plástico e ocupou vários cargos políticos no Ministério da Cultura.

Em 1964, casou-se com Vivien Mahr, com quem teve três filhos: o também ator Duda, o diretor Fabrício e Carlos. A esposa morreu em 1980.

Depois disso, teve um companheiro por 37 anos, Ednaldo Torquato, que morreu em 2019. Ao publicar sua autobiografia em abril deste ano, o ator falou abertamente sobre sua bissexualidade.

Sergio Mamberti — Foto: TV Globo/Renato Rocha Miranda
Sergio Mamberti — Foto: TV Globo/Renato Rocha Miranda


Do G1 com edição do Jornal Brasil Popular