Publicidade

Ato Fora Bolsonaro movimentou a Estação da Lapa, em Salvador

  • em


Militantes petistas realizaram na quarta-feira (13), na Estação da Lapa, o ato Fora Bolsonaro, que marcou o lançamento do Comitê Militante Petista Fora Bolsonaro. A ação reuniu trabalhadores e trabalhadoras em defesa de direitos e contra o Governo Bolsonaro.

 

O presidente do PT de Salvador, Ademário Costa, participou do ato e destacou a importância de ações como essa para ajudar o Brasil. “O ato acontece em um momento no qual o país está enfrentando diversas crises causadas pelo Governo Bolsonaro, causando perdas de direitos e um retrocesso imensurável. É fundamental ações como essa e o PT sai na frente em Salvador, com toda a militância, através do Comitê, que vem para fazer este enfrentamento e lutar por direitos”, declarou o dirigente.

 

Em documento, o Comitê declarou “É urgente afastar Bolsonaro e Mourão e convocar eleições. Nestas novas eleições, deve ser garantido o direito à Lula ser candidato a presidente”. A comissão também destacou como ação emergencial “adotar medidas para garantir renda e emprego, vacinação, manutenção de direitos e melhoria dos serviços públicos”.

 

O documento também destaca os motivos do ato “Por que fora Bolsonaro? Bolsonaro é fruto de um golpe e de uma fraude eleitoral, se constituindo um governo ilegítimo, fruto de ataque a direitos e liberdades democráticas. É resultado do Golpe de 2016 contra a presidente Dilma e do impedimento pelo Judiciário da participação de Lula nas eleições de 2018”.

 

Para Ademário, a crise atual do país precisa ser combatida a partir das ruas, com a organização dos movimentos populares. “Já está claro que Bolsonaro não tem competência para governar o Brasil e toda a população está sofrendo com isso. Portanto, é hora de reagir e Salvador já deixou claro que não aprova esse governo”, afirmou.

 

Comitê

 

O Comitê Militante Petista foi organizado para atuar na mobilização nas ruas em defesa do Fora Bolsonaro e pela restituição plena dos direitos políticos e a liberdade de Lula, agindo de acordo o Manifesto de Fundação do partido que diz: “O PT quer atuar não apenas no momento de eleições, mas, principalmente, no dia a dia dos trabalhadores”.

 

  • Compartilhe