Teólogo Leonardo Boff apela ao Supremo Tribunal Federal para que não se ‘esconda atrás do livro da Constituição’ e ‘oculte um crime’. “A corte deve afastar o genocida, como ato de salvação nacional. Senão acabará sendo cúmplice”, defende.

 

O teólogo e intelectual Leonardo Boff trouxe à tona o emergente papel do Supremo Tribunal Federal diante do genocídio dos brasileiros sob governo Bolsonaro durante a pandemia do coronavírus.

 

“Creio que atingimos o limite do suportável. O Brasil não pode ser vítima da necropolítica de um psicopata”, declarou, no Twitter.

 

Em seguida, ele chama o STF ao dever para que não se omita, nem seja cúmplice de um crime e afaste o presidente.

 

“O próprio STF não pode se esconder atrás do livro da Constituição e ocultar um crime. A corte deve afastar o genocida, como ato de salvação nacional. Senão acabará sendo cúmplice”, completou.

 

 

Com Twitter/Site 247