Publicidade

Artistas do DF repudiam violência contra a mulher

  • em


#NãoaoFeminicídio

A poesia sangrou na noite de 13 de fevereiro durante o Sarau #NãoaoFeminicídio, que reuniu mais de 40 artistas, entre poetas e músicos do DF, em protesto contra a violência que acomete mulheres em todo o Brasil. O Teatro dos Bancários abriu suas portas para a iniciativa dos grupos Celeiro Literário Brasiliense e BraSa – Caminhos Literários e Musicais entre Brasília e Salvador.

Segundo o economista e produtor do Sarau, Adroaldo Siqueira, foram denunciados o machismo e a misoginia imperantes sobretudo no DF – 5º lugar do país em índices de assassinatos de mulheres. “Um dos resultados desse esforço coletivo foi a criação do Movimento #BastadeFeminicídio pelas entidades apoiadoras do Sarau”, destaca Siqueira. Já a criadora do evento, Nilva Souza, enfatiza que “as performances poéticas e musicais foram um pedido de socorro para salvar vidas”.

A realidade aponta para a guerra silenciosa em que milhares de mulheres são cotidianamente ameaçadas, abusadas, estupradas ou mortas em todo o Brasil. O Atlas da Violência produzido em 2019 pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) constata que, em dez anos, os homicídios femininos cresceram 30,7% no território nacional. Só em 2017 foram mortas 13 mulheres por dia e computados cerca de 300 mil estupros no ano. No DF, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública registra: somente em janeiro de 2019 ocorreu um feminicídio por semana, a maioria dentro de casa e com vítimas entre 25 e 30 anos.

No Sarau – Vinte poetas de diversas linguagens subiram ao palco para dar recados contundentes contra a brutal insegurança que ronda a vida de mulheres. A noite também foi abrilhantada por músicos como Martinha do Coco e Regional Marangone de Choro, além do quarteto de Eduardo Rangel, Liliana Gayoso, Genil Castro e Beatriz Schimidt, para citar alguns.

O evento teve apoio de entidades civis, como Associação Brasileira de Economistas pela Democracia (ABED), Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia (APD), Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), Associação Nacional dos Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (Anesp), CFEMEA e WS Serviços e Comunicação Visual (do Guará), entre outras.

  • Compartilhe