Publicidade

Araraquara (SP) é exemplo no tratamento da Covid-19

  • em


O prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT), tem sido exemplo na gestão da área de saúde, destacando-se após o início da pandemia. O município do interior paulista tem números bem melhores do que a média estadual com relação às ocorrências de Covid-19, principalmente na redução da letalidade da doença. Dos 1.536 registros do novo coronavírus no município, 16 evoluíram para óbito. A taxa letalidade na cidade é de 1%, enquanto no estado de São Paulo o índice é de 4,7%.

 

Epicentro da Covid-19 no país, São Paulo possui 439.446 casos confirmados e registrou 20.532 mortes até a noite da última quarta-feira (22), segundo o Ministério da Saúde. O número de óbitos no estado é maior do que as mortes somadas registradas nas regiões Norte, Sul e Centro-Oeste que, juntos, contabilizam 19.020 óbitos por conta do novo coronavírus.

 

A secretária de Saúde de Araraquara, Eliana Aparecida, atribui o resultado satisfatório no município a uma política de testagem em massa e à rapidez na entrega dos diagnósticos da Covid-19. Ela afirma que profissionais de saúde monitoram regularmente os pacientes com o vírus e, em alguns casos, realizam visitas domiciliares para verificar a saúde dessas pessoas.

 

“Temos feito uma intervenção precoce e o monitoramento constante das pessoas com o vírus. Mesmo os pacientes que não são do grupo de risco, nós realizamos visitas domiciliares para a avaliação do quadro clínico”, diz a superintendente.

 

Além disso, ela afirma que as unidades de saúde do município adotam um protocolo que recomenda a internação de todas as pessoas a partir de 45 anos de idade que são diagnosticadas com a doença. “Internamos precocemente os pacientes que possuem vulnerabilidade, seja física ou social, e àqueles que integram o grupo de risco. As pessoas [diagnosticadas] partir dos 45 anos são internadas, porque verificamos uma alta letalidade nessa faixa etária”.

 

Desde meados de maio, Araraquara passou a contar com mais 51 leitos no enfrentamento ao novo coronavírus, com o início dos atendimentos do Hospital da Solidariedade. São 31 leitos de enfermaria e 20 leitos de semi-UTI para pacientes diagnosticados com a Covid-19.

 

O hospital, cuja obra foi concluída em menos de 50 dias, possui 2.548 m² de área construída, com os 50 leitos, sala de raio-x, salas de expurgo, almoxarifado, vestiários, locais para banho de pacientes, sanitários para pacientes e servidores, rouparia, copa de distribuição, refeitório dos funcionários, setor de administração, repousos médicos, necrotério, farmácia, recepção, postos de enfermagem e central de gases. O prédio também possui geradores para que não haja queda de energia elétrica e descontinuidade na prestação dos atendimentos.

 

“Estruturamos a nossa rede de saúde para nos planejarmos para o crescimento da doença no interior do estado de São Paulo e prestarmos o melhor atendimento à população de Araraquara. Com os 50 leitos do Hospital da Solidariedade, estamos estruturados para vencer o coronavírus”, afirma o prefeito Edinho.

 

A mão de obra utilizada na construção foi de apoiadores no combate ao coronavírus contratados por processo seletivo. Edinho agradeceu a todos que colaboraram na implantação do hospital.

 

“Muito obrigado a todos que trabalharam para que a gente tivesse um hospital de campanha desse porte para servir a população de Araraquara. Estamos diante de uma realização que a gente não queria que existisse, mas, infelizmente, essa estrutura é necessária para combater a pandemia. Espero que esse espaço fique ocioso, que poucas pessoas utilizem. Mas, se a população de Araraquara e da região precisarem, ele terá condições de cumprir o seu papel e salvar vidas”, disse.

 

Com informações do Brasil61 e da Prefeitura de Araraquara
  • Compartilhe