Na manhã desta quinta-feira (2), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) denunciou nas redes digitais uma ação da Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT) para intimidar estudantes do Ensino Médio de Cuiabá, Mato Grosso.

Um helicoptero da Sesp-MT sobrevoou, com voou baixo, o Colégio Notre Dame de Lourdes, em Cuiabá, com a bandeira do Brasil. A ação aconteceu alguns dias após uma professora da unidade ter sido afastada por fazer críticas a Jair Bolsonaro (ex-PSL).

Procurada pela imprensa, a secretaria afirmou se tratar de um evento de “comemoração à semana da pátria” por causa do 7 de setembro, dia em que foi declarada a Independência do Brasil, em 1822. Ao ‘Yahoo! Notícias’, a escola confirmou que fez um pedido para a secretaria promover palestras aos alunos, além do sobrevoo com a bandeira do Brasil.

O colégio negou que o pedido tenha relação com a suspensão da professora. Afirmou ter sido uma “coincidência”.

A Ubes, por sua vez, afirma, nas redes sociais, que “Uma professora do Colégio Notre Dame de Lourdes, em Cuiabá, foi suspensa pela instituição após expor sua opinião sobre o presidente Bolsonaro. Hoje, o helicóptero da Secretaria de Segurança Pública sobrevoou a escola com uma bandeira do Brasil para tentar intimidar as/os professoras/es e estudantes. A escola é um espaço livre e esse tipo de intimidação é um retrocesso pra educação. NÃO ACEITAREMOS AMEAÇAS!

 

Apuração do UOL indica que se trata de uma  aeronave do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) pertencente à Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT). A cena foi filmada por alunos que estavam no pátio da escola.

O site informa que, nesta semana, uma professora do colégio foi suspensa por três dias após ser gravada fazendo críticas a Bolsonaro em uma aula do 3º ano do Ensino Fundamental.

A diretora da unidade, irmã Marluce Almeida, enviou um aviso aos responsáveis pelos estudantes ressaltando que a docente estava “envergonhada e arrependida”.

Um vídeo gravado pelos estudantes mostra o momento em que o helicóptero do Ciopaer fica parado sobre a unidade. Na porta da aeronave, um militar segura a bandeira do Brasil.

Por meio de nota, a Sesp-MT informou que o sobrevoo foi realizado a pedido do próprio colégio como parte das atividades da Semana da Pátria.

“Na ocasião, a bandeira do Brasil foi mostrada aos estudantes sem nenhuma conotação política, mas no intuito de demonstrar o patriotismo nesta que é uma data importante para o País”, diz um trecho do posicionamento.

A Sesp-MT informou que os militares do Ciopaer também fizeram uma palestra sobre segurança pública a convite da instituição na manhã desta quinta-feira (2).

A Pasta afirmou ainda que não compactua com posicionamentos políticos no âmbito do serviço público e que excessos dos servidores podem acarretar em medidas administrativas.

Críticas ao presidente

Na gravação, a professora critica o descaso de Bolsonaro com as questões ambientais e afirma que ele é a favor da destruição de terras indígenas e invasões de garimpeiros nessas áreas.

“A Polícia Federal essa semana foi lá nas terras indígenas, teve umas máquinas que eles botaram fogo e outras que afundaram no lago. Além da destruição da natureza, também está prejudicando o povo indígena, as terras são deles. O presidente da República é a favor disso (destruir o meio ambiente)”, diz na gravação.

Ela também diz que os estudantes devem “começar a pensar” sobre o futuro do Brasil e fala sobre o uso da urna eletrônica no processo eleitoral. Para ela, o voto impresso é uma estratégia de Bolsonaro para descredibilizar as eleições.

“Ali [na urna eletrônica] não tem como roubar. Tem como roubar se for no ‘papelzinho’. E o que ele [Bolsonaro] quer? Ele quer que volte a votação pelo papelzinho, que é para facilitar ele fazer qualquer coisa que ele quiser”, afirmou.

Crítica a eleitores

A professora suspensa ainda avalia que os apoiadores do presidente são como “torcedores de futebol“, além de serem “corruptos como Bolsonaro”.

“Ele tem a torcida dele. Mas se você for avaliar e investigar, quem são os torcedores dele? Pessoas corruptas também, que fazem coisas fora da lei. Essas são as pessoas que ficam atraídas por ele por causa do pensamento dele, das coisas que ele fala e faz, que são sempre contra a prosperidade do país”, disse.

Ela também criticou o aumento da inflação no Brasil.

“Nós estamos vivendo numa época de grande inflação. O que é isso? Aumento de tudo!”, afirmou.

O Colégio Notre Dame de Lourdes informou, por meio de nota, que desde segunda-feira, 30 de agosto, celebra a Semana da Pátria na unidade e quedurante as atividades realizadas com os alunos surgiu a ideia de convidar o Ciopaer para a programação. O ofício foi enviado ontem.

“O Colégio Notre Dame de Lourdes tem 50 anos de tradição na educação pautada em princípios cristãos e éticos, voltados para a cidadania e para uma formação integral dos alunos. Em nenhum momento da sua trajetória envolveu-se com posicionamentos político-partidários e, ao mesmo tempo, nunca se furtou de propor aos alunos a discussão de ideias”, diz trecho do posicionamento.

Sobre a suspensão da professora, a assessoria ressaltou que ela infringiu um artigo do Código de Ética assinado pelos funcionários. A direção da unidade ressaltou ainda que não apoia “tal conduta e que a opinião expressada não reflete a posição da instituição”.

 

Da Ubes/UOL/247 com edição do JBP