Publicidade

Aniversário do Fórum de Produtores Culturais terá edição Online 2020 com convidados internacionais

  • em


Em setembro celebra-se o 6° aniversário do Fórum de Produtores Culturais, atividade que promove gratuitamente palestras, rodas de conversa e oficinas com personalidades representativas do cenário artístico, cultural e do empreendedorismo criativo. A ação é realizada pela gestora de políticas culturais, Aryane Sánchez, premiada pelo Fundo de Apoio à Cultura na área de Gestão, Pesquisa e Capacitação em 2020, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF.

 

Os debates já contaram com a presença do ator Paulo Betti, do produtor carioca Marcos Portinari, do Diretor de Relações Institucionais da Oi José Zunga, da Diretora Geral do CCBB Paula Sayão, da atriz Adriana Nunes, do diretor Eduardo Chauvet, da Drag Queen Allice Bombom, do ex- Secretário de Estado de Cultura do DF Guilherme Reis, do ator e jornalista Alexandre Ribondi, do produtor e BBoy Alan Jhone Moreira, do Gerente de Patrocínio da Petrobras Lucas Odoni, do engenheiro de som e cantor da banda Galinha Preta Frango Kaos, da poetisa e letrista Ana Terra, do produtor francês Jacques Figueras, do escritor indicado ao prêmio Jabuti 2017 Anderson França, a diretora do Museu Villa-Lobos (RJ) Cláudia Castro, da percussionista Silvanny Sivuca (Emicida) entre outros.

 

Em seus primeiros 3 anos de realização na Universidade de Brasília, a experiência serviu para estruturar a proposta de Graduação em Produção e Gestão Cultural da UnB, por meio de seu Instituto de Artes. Durante 2019, os encontros foram sediados no Teatro Brasília Shopping, em região central e acessível da capital.

 

E com a necessidade de distanciamento social, durante o ano de 2020 se realizará a Edição Online, com streaming pelo canal do Fórum de Produtores Culturais na rede social Instagram: @forumdeprodutoresculturais.

 

Programação de setembro

 

Dia 10, às 19h – LUCIARA RIBEIRO (BA) 

 

No dia 10 de setembro às 19h, o Fórum de Produtores Culturais receberá a educadora, pesquisadora e curadora Luciara Ribeiro, para um bate-papo sobre Curadoria Ativista.

 

Curadoria ativista é um termo que busca debater o comprometimento dos profissionais das artes com a sociedade, questionando as estruturas de dominação, os lugares da representação e da apresentação, redefinindo as noções de margem e centro, de micro e macro, de global e local, de modo que a curadoria seja um espaço estratégico na construção de uma sociedade menos excludente.

 

Luciara é natural de Xique-Xique – Bahia, radicada em São Paulo. Interessa-se por questões relacionadas a descolonização da educação e das artes e pelo estudo das artes não ocidentais, em especial as africanas, afro-brasileiras e ameríndias. É mestra em História da Arte pela Universidade de Salamanca (USAL, Espanha, 2018), onde foi bolsista da Fundación Carolina, e pelo Programa de Pós-Graduação em História da Arte da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP, 2019), onde foi bolsista CAPES.

 

É graduada em História da Arte pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP, 2014) com intercâmbio na Universidade de Salamanca (USAL, Espanha, 2012). É técnica em Museologia pela Escola Técnica Estadual de São Paulo (ETEC, 2015). Trabalhou na equipe educativa da Fundação Bienal de São Paulo (2010 e 2011), no Museu Afro Brasil, entre outras instituições.

 

Foi bolsista FAPESP no projeto de digitalização, organização, disponibilização na base de dados de material audiovisual e de pesquisa em Moçambique. Participou de Residência artística em Patrimônio Material do projeto Avizinhações São Paulo- Maputo (MINC, 2015). Integrou também, a equipe de curadoria do Instituto Tomie Ohtake – São Paulo.

 

Saiba mais: https://unifesp.academia.edu/LuciaraRibeiro

 

 

Dia 14, às 19h – JORGE MELGUIZO (COLÔMBIA)

 

(foto da capa)

 

É jornalista e consultor internacional em gestão pública, projetos urbanos, de cultura e participação social, com atuação em 135 cidades e em 18 países. Foi Secretário de Cultura Cidadã e Secretário de Desenvolvimento Social na cidade de Medellín – Colômbia.

 

Jorge Melguizo fez de Medellín um case mundial, com o investimento em políticas culturais para a redução de homicídios, que durante sua gestão teve uma diminuição de 382 para 39, em cem mil habitantes, e chegou ao índice de 19 casos a cada 100 mil habitantes, em 2016. Como resultado, a violência na região é, atualmente, 95% menor do que era há 20 anos. Sua intervenção foi algo que se deu com 90% de ações culturais.

 

É ativista de temáticas como cultura, gestão pública, habitação, construção de sociedade civil e convivência, com toda a sua vida dedicada a projetos de transformação social, de associações comunitárias à administração pública.

 

Na live do Fórum de Produtores Culturais, Melguizo falará não só do exemplo de Medellín e o papel da cultura nas transformações sociais, mas de sua importância na regeneração da sociedade após processos traumáticos, como o que estamos vivenciando com a pandemia e ainda experimentaremos no pós-pandemia.

 

Saiba mais em suas redes: Instagram: @jorge.melguizo; Facebook:  @jorge.melguizo.54 e Twitter: @jorgemelguizo

Dia 26, às 16h – RUAN GALDINO (RJ) 

 

Bailarino solista sênior da companhia sul-africana Joburg Ballet, Ruan Galdino é também co-fundador da plataforma digital @BlacksInBallet, como uma rede antirracista no mundo do balé clássico. O canal é fonte de inspiração para a nova geração de bailarinos negros em todo o mundo, realçando a existência e o talento de bailarinos negros, apoiando também diversos projetos sociais.

 

Nascido e criado em Rocha Miranda, Zona Norte do Rio de Janeiro, Ruan acordava às 5h da manhã para chegar às 7h no Colégio Pedro II.  Aos 10 anos começou as atividades artísticas na escola, sempre envolvido com dança, teatro, música e literatura. Participava da capoeira no seu bairro e também praticava Ginástica Olímpica no Projeto Social da Mangueira e Vasco da Gama.

 

Não demorou muito para que fosse aprovado na Escola do Theatro Municipal-RJ e aos 18 anos fez a primeira viagem internacional para os Estados Unidos, dando início à sua carreira internacional.

Além dos prêmios nacionais conquistados nas competições de dança no Brasil, foi bolsista e premiado com bolsas de estudo no exterior. Participou de algumas das maiores competições para jovens bailarinos: a Youth America Grand Prix em Nova Iorque e World Ballet Competition, sendo convidado em seguida, para estrelar a Gala “Black Swan” na Rússia, em uma turnê por 10 cidades.

 

Em 2016 foi contratado para integrar o Corpo de Baile do Joburg Ballet, a maior companhia de balé da África do Sul. Hoje, Ruan chegou ao posto de solista sênior, e atualmente é um dos bailarinos principais da Companhia.

 

É também professor, coreógrafo, modelo, criador de conteúdo digital e figura pública na África do Sul, com aparições frequentes em vídeo clipes, entrevistas em diversas mídias, participações em eventos diplomáticos e programas de TV.

 

Saiba mais em:  Instagram: @blacksinballet, @ruangaldino e @joburg_ballet

 

  • Compartilhe