O Brasil de 2021 impõe ao Partido dos Trabalhadores a necessidade de construir uma estratégia clara que devolva o Brasil aos brasileiros. O DESgoverno Bolsonaro além de entregar o povo à própria sorte no enfrentamento à pandemia, e implementar um projeto de genocídio da população brasileira, evidenciou que a agenda política e econômica do atual governo é de destruição do patrimônio nacional, entrega das nossas riquezas e ataques sistemáticos a soberania nacional.

 

A pobreza tem aumentado significativamente, vislumbrada a cada dia com mais e mais pessoas na miséria, pedindo esmolas nos semáforos. A insegurança alimentar voltou a bater na porta de milhões de brasileiros que estão humilhados no desemprego, falta de oportunidades e desalento.

 

As empresas nacionais estratégicas para a soberania do país seguem no projeto neoliberal de privatização total do patrimônio do povo brasileiro, tudo orquestrado desde o processo do Golpe de 2016. Mais recentemente, Bolsonaro encampou uma verdadeira cruzada para deslegitimar as instituições democráticas do país, pondo em dúvida até mesmo a lisura do processo eleitoral.
Tais circunstâncias nos levam à imperativa e urgente necessidade de construir uma alternativa real de poder no Brasil, que derrote o projeto golpista e antinacional de Bolsonaro e sua trupe, e que apresente um projeto sólido de reconstrução nacional, uma agenda que passe pelo povo.

 

A candidatura do Presidente Lula e a formação de uma bancada forte no parlamento, passou a ser prioridade para as hostes do PT, mas essa tarefa só será concretizada com muito diálogo e construção política.

 

A formação do palanque do Presidente Lula passará pelo dialogo com os partidos e lideranças do campo da centro-esquerda, e de partidos mais ao centro, como o MDB, PSD e PP (em alguns estados), entretanto também será influenciado pela conjuntura eleitoral dos estados, principalmente onde o PT não governa e em estados de regiões estratégicas como o Norte, Nordeste e Sudeste.

 

A Paraíba efetivamente não ficará de fora desse processo, o Presidente Lula precisa de um palanque que para além das lideranças tradicionais de centro-esquerda, agregue setores mais ao centro em nosso estado, setores que já estiveram em outras ocasiões ao nosso lado, bem como o próprio Governador João Azevedo que já sinalizou publicamente sobre o seu interesse de apoiar a candidatura do Presidente Lula e a sua negativa de ter defensores do palanque Bolsonaro em sua chapa.

 

Caberá assim ao PT da Paraíba conduzir diálogos em torno da construção de um palanque AMPLO, DEMOCRÁTICO E DIVERSO, que dê sustentação e amplitude à candidatura do Presidente Lula em nosso Estado, obviamente, diálogo esse que deverá ser feito em sintonia com a Direção Nacional do Partido dos Trabalhadores.

 

 

(*) Pedro Matias, Secretário Estadual da JPT/PB