Publicidade

Alimente a Arte: artistas fazem live em apoio a pessoas em situação de vulnerabilidade

  • em


No dia 27 de julho, segunda-feira, a partir das 18h30, no Instagram da ASCETUR (@ascetur_), o cantor André Gonzalez e as cantoras Teresa Lopes Ana Beatriz, além da atriz circense Gaia Diniz, participam da segunda live beneficente, em prol de artistas independentes em situação de vulnerabilidade.

 

Para contribuir com qualquer valor, acesse pag.ae/7Wa1jtUNK ou, se preferir, pode ser via transferência bancária para BRB; Ag: 204; C/c: 031.874-1; CNPJ: 10.172.307/0001-23, em nome da Associação Cultural, Esportiva e Turística.

 

Em atuação há 12 anos no Distrito Federal, a ASCETUR (Associação Cultural, Esportiva e Turística) amplia e intensifica suas atividades em tempos de pandemia. Desde o início da quarentena, a ONG tem realizado campanhas com o propósito de combater os efeitos econômicos e sociais negativos, causados pelas medidas de isolamento que levaram à suspensão das atividades do setor cultural.

 

A mobilização dos gestores da associação visa atender artistas independentes em situação de vulnerabilidade. “Em conversa com uma rede de contatos do meio cultural, percebemos que muitos estavam sem qualquer apoio, público ou privado, desde a paralisação de suas atividades”, comenta Ana Sofia, integrante da ASCETUR.

 

Com fonte de renda oriunda de apresentações em espaços alternativos, a exemplo da rua, e também como professores e de projetos temporários, estes trabalhadores encontram-se sem meios de subsistência própria e de seus familiares. Para socorrer, emergencialmente, este público a ONG já arrecadou cerca de 6 toneladas de alimentos com a campanha ‘Ajude a Alimentar’.

 

Mas a necessidade de pagar contas bate à porta, por isso deram início à campanha ‘Alimente a Arte’. “Com ela vamos entregar vales no valor de R$ 350,00 às famílias destes fazedores de arte, inclusive os estrangeiros residentes em Brasília”, anuncia a ONG. A meta é arrecadar R$ 10,5 mil.

 

Para os organizadores, “prestar apoio e atenção à esta parcela da nossa população significa preservar a cultura do Distrito Federal e garantir sobrevivência dos que seguem sem previsão de quando retornarão a suas atividades com normalidade”, concluem. Até o momento, 12 famílias já foram atendidas.

  • Compartilhe