Publicidade

Abdulrazak Gurnah, romancista tanzaniano, ganha Prêmio Nobel de Literatura 2021

  • em



Academia Sueca fez o anúncio na manhã desta quinta-feira (7). Abdulrazak Gurnah é o quinto africano a receber o prêmio

 

 

Abdulrazak Gurnah, romancista tanzaniano, ganhou o Prêmio Nobel de Literatura 2021. Anunciado, na manhã desta quinta-feira (7), pela Academia Sueca, o prêmio foi concedido “por sua penetração intransigente e compassiva dos efeitos do colonialismo e do destino do refugiado no abismo entre culturas e continentes.”

 

“Seus romances fogem de descrições estereotipadas e abrem nossos olhares para uma África Oriental culturalmente diversificada, desconhecida para muitos em outras partes do mundo”, afirmou a Academia.

 

Gurnah, que  nasceu em 1948 e cresceu na ilha de Zanzibar, é o quinto africano a conquistar o Prêmio Nobel. Ele chegou à Inglaterra, na década de 1960, na condição de refugiado. O romancista começou a escrever aos 21 anos de idade e publicou dez livros e diversos contos ao longo da carreira. A temática de refugiados é a base de todo seu trabalho.

 

 

Apuração do G1 informa que o romancista é conhecido, principalmente, pelo livro “Paradise”, de 1984, ambientado no leste da África durante a Primeira Guerra Mundial. A obra foi finalista na época do Booker Prize de ficção.

 

 

Abdulrazak Gurnah posa para foto em sua casa em Canterbury, Inglaterra, nesta quinta-feira (7) — Foto: Frank Augstein/AP
Abdulrazak Gurnah posa para foto em sua casa em Canterbury, Inglaterra, nesta quinta-feira (7) — Foto: Frank Augstein/AP

Seu livro de estreia (“Memory of Departure”) foi lançado em 1987 e conta a história de um jovem talentoso que tenta uma nova vida sob a proteção do tio em Nairobi, mas em vez disso, é humilhado e precisa retornar para sua família problemática, incluindo um pai alcoólatra e uma irmã que é forçada a se prostituir.

 

“Pilgrims Way” (1988) e “Dottie” (1990) foram os livros seguintes do romancista. Sua obra mais recente, “Afterlives”, foi lançada em 2020, e conta a história de Hamza, um jovem que é forçado a ir para a guerra ao lado dos alemães e se torna dependente de um oficial que o explora sexualmente.

 

Gurnah atuava como Professor de Inglês e Literaturas Pós-coloniais na Universidade de Kent, em Canterbury, aposentando-se recentemente.

 

Algumas das obras de Abdulrazak Gurnah, romancista vencedor do Nobel de Literatura 2021 — Foto: Jonathan NACKSTRAND / AFP
Algumas das obras de Abdulrazak Gurnah, romancista vencedor do Nobel de Literatura 2021 — Foto: Jonathan NACKSTRAND / AFP

Obras de Abdulrazak Gurnah, vencedor do Nobel de Literatura 2021 — Foto: Jonathan NACKSTRAND / AFP
Obras de Abdulrazak Gurnah, vencedor do Nobel de Literatura 2021 — Foto: Jonathan NACKSTRAND / AFP

Abdulrazak Gurnah dando aulas na Universidade de Kent  — Foto: Universidade de Kent
Abdulrazak Gurnah dando aulas na Universidade de Kent — Foto: Universidade de Kent

Nobel da Literatura em números

 

Desde 1901, foram 118 laureados em 114 premiações. Isso porque em quatro delas, dois nomes foram anunciados como vencedores no mesmo ano. Não houve premiação nos anos de 1914, 1918, 1935, 1940, 1941, 1942 e 1943. Até hoje, ninguém foi premiado mais de uma vez.

 

Rudyard Kipling foi o mais jovem vencedor do prêmio. Em 1907, quando foi nomeado, tinha 41 anos de idade.

 

Já a mais velha foi Doris Lessing, que estava com 88 anos quando foi premiada em 2007.

.

Mats Malm, secretário permanente da Academia Sueca, anuncia o nome de Abdulrazak Gurnah como vencedor do Nobel de Literatura 2021 — Foto: Fredrik Sanberg/TT News Agency/via REUTERS
Mats Malm, secretário permanente da Academia Sueca, anuncia o nome de Abdulrazak Gurnah como vencedor do Nobel de Literatura 2021 — Foto: Fredrik Sanberg/TT News Agency/via REUTERS

As mulheres do Nobel de Literatura

 

O Prêmio Nobel de Literatura foi concedido a apenas 16 mulheres entre uma centena de homens desde sua criação, em 1901.

 

1909 – Selma Lagerlöf
1926 – Grazia Deledda
1928 – Sigrid Undset
1938 – Pearl Buck
1945 – Gabriela Mistral
1966 – Nelly Sachs
1991 – Nadine Gordimer
1993 – Toni Morrison
1996 – Wislawa Szymborska
2004 – Elfriede Jelinek
2007 – Doris Lessing
2009 – Herta Müller
2013 – Alice Munro
2015 – Svetlana Alexievich
2018 – Olga Tokarczuk
2020 – Louise Glück

 

Após o escândalo #MeToo, que levou à suspensão do prêmio em 2018, e as críticas recorrentes pela presença de laureados masculinos e eurocêntricos, a Academia Sueca, encarregada de conceder a prestigiosa distinção, disse que renovou seus critérios e espectro para que o prêmio seja mais global e feminino.

 

Nobel 2021

Este ano, o prêmio para cada uma das categorias do Nobel é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6,1 milhões).

 

A láurea em Medicina foi a primeira a ser anunciada, na segunda (4), e entregue para David Julius e Ardem Patapoutian pela descoberta de como estímulos como o calor ou o frio eram detectados pelo corpo humano e transformados em impulsos elétricos. Já o prêmio em Física, divulgado na terça (6), foi dado a Syukuro Manabe, Klaus Hasselmann e Giorgio Parisi pelas contribuições inovadoras para a nossa compreensão de sistemas físicos complexos.

 

Na quarta (6), foi entregue o Nobel de Química para Benjamin List e David MacMillan, por nova ferramenta de construção de moléculas.

 

Os prêmios de Paz e economia serão divulgados na sexta-feira (8) e segunda-feira (11) respectivamente.

 

Veja o cronograma completo da premiação:

Medicina: segunda-feira, 4 de outubro
Física: terça-feira, 5 de outubro
Química: quarta-feira, 6 de outubro
Literatura: quinta-feira, 7 de outubro
Paz: sexta-feira, 8 de outubro
Economia: segunda-feira, 11 de outubro

Do G1 com edição do Jornal Brasil Popular

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *